ONU condena fortemente ataque a navios petroleiros no Golfo de Omã
BR

13 junho 2019

Pelo menos 44 tripulantes foram salvos em embarcações atingidas, segundo agências de notícias; ainda não é conhecida a causa das explosões que aconteceram na rota de petróleo que está entre as mais movimentadas do mundo.

O secretário-geral, António Guterres, disse que foi com “profunda preocupação” que tomou conhecimento do incidente de segurança que aconteceu na manhã desta quinta-feira no estreito de Ormuz, no Oriente Médio.

Segundo agências de notícias, pelo menos 44 tripulantes foram resgatados em dois navios petroleiros atingidos por explosões na área do Golfo de Omã. Ainda não é conhecida a causa das explosões em uma das rotas de petróleo mais movimentadas do mundo.

Falando no Conselho de Segurança, António Guterres disse condenar fortemente qualquer ataque contra embarcações civis. Foto: ONU/ Eskinder Debebe

Civis

Falando no Conselho de Segurança, António Guterres disse condenar fortemente qualquer ataque contra embarcações civis.

O secretário-geral destacou que os fatos devem ser determinados e as responsabilidades esclarecidas. O chefe da ONU acrescentou que se há algo que o mundo não pode arcar é  com um grande confronto na região do golfo.

Cooperação

As declarações foram feitas na sessão do órgão que debateu a cooperação entre as Nações Unidas e a Liga Árabe.

Agências de notícias citaram as autoridades iranianas como tendo dito que resgataram 21 tripulantes a bordo da embarcação Kokuka Courageous e 23 do Front Altair. A Marinha dos EUA também teria anunciado o resgate de vítimas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Missão da ONU apela a proteção de civis após a morte de dezenas no Afeganistão

Pelo menos 100 pessoas morreram recentemente em ataques à população; Unama lembra que estas ações podem ser consideradas crimes contra a humanidade; para a operação da ONU, incidentes comprometem avanço do processo de paz.

ONU e Moçambique estudam impactos ambientais de exploração de gás natural 

País deve tornar-se terceiro maior exportador de gás natural do mundo até 2023; setor deve trazer US$ 39 bilhões para a economia moçambicana nos próximos 20 anos e criar mais de 700 mil empregos até 2035.