ONU expressa “choque” com ataque que matou pelo menos 95 pessoas em vilarejo no Mali

10 junho 2019

Incidente ocorreu na noite de domingo a 43 km a nordeste da cidade de Bandiagara; operação de paz pede às autoridades que “investiguem e levem seus responsáveis à justiça; organização envia assistência humanitária para apoiar populações afetadas.

A Missão das Nações Unidas no Mali, Minusma, está extremamente preocupada com o ataque mortal a civis na aldeia de Sobanou-Kou. Pelo menos 95 pessoas morreram e muitas  ficaram feridas no incidente que ocorreu na noite de domingo.

Segundo informações preliminares, homens armados invadiram o vilarejo situado a 43 km a nordeste da cidade de Bandiagara, na região de Mopti.

Reação

 Em reação a este ataque, o secretário-geral expressou  "estar indignado" com morte de pelo menos  95 civis, incluindo mulheres e crianças.

Em nota emitida pleo seu porta-voz, Stéphane Dujarric, e através da sua conta do Twitter, Guterres condena veementemente este ataque e pede às autoridades do Mali que investiguem esta tragédia e levem os perpetradores à justiça.

O líder da ONU apresenta ainda as suas sentidas condolências às famílias das vítimas, ao povo e ao governo do Mali, e deseja uma rápida recuperação aos feridos.

Ataque

O representante especial do secretário-geral das Nações Unidas no Mali, Mahamat Saleh Annadif, afirmou estar "chocado e indignado" com este novo ataque, condenando “este ato de barbaridade indescritível, bem como apelos à violência.”

Segundo informações preliminares, homens armados invadiram a aldeia e lideraram um ataque que deixou pelo menos 95 mortos e muitos feridos.Unicef/ Maiga

Em nota, o representante pede às autoridades malianas que “investiguem rapidamente essa tragédia e levem seus perpetradores à justiça.

Também Annadif apresentou as suas condolências às famílias das vítimas deste ataque, bem como ao povo e ao Governo do Mali.

A Minusma coordena a resposta de apoio aos esforços das autoridades do Mali.

Ajuda

Em nota, a Missão da ONU garante que o sistema das Nações Unidas no Mali  mobiliza-se para fornecer assistência humanitária às populações afetadas por esta tragédia.

As operações de segurança da Minusma atualmente em curso são redirecionadas com o objetivo de apoiar as Forças de Defesa e Segurança do Mali nos seus esforços para proteger e proteger a população.

Está também a ser fornecido apoio aéreo para evitar novos ataques. 

A Minusma revelou que está a implementar uma missão especial de averiguação de direitos humanos para investigar estes incidentes e apoiar as autoridades malianas nas suas investigações judiciais.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Soldado de paz nigeriano morre em ataque no Mali

Secretário-geral condenou dois ataques ocorridos neste sábado contra missão da ONU no país; Guterres lembrou ainda que “ataques contra forças de paz das Nações Unidas podem ser considerados crimes de guerra de acordo com a lei internacional”.

ONU pede investigações de ataques cometidos no Mali

Ciclo de violência do último ano já provocou mais de 600 mortos e milhares de deslocados; ataque de sábado vitimou 153 pessoas; confrontos resultam de perseguição a grupos extremistas violentos.