Secretário-geral apresenta plano sobre finanças da organização

Secretário-geral da ONU, António Guterres pediu que os envolvidos continuem se engajando em um diálogo significativo
Foto: ONU/Manuel Elias
Secretário-geral da ONU, António Guterres pediu que os envolvidos continuem se engajando em um diálogo significativo

Secretário-geral apresenta plano sobre finanças da organização

Assuntos da ONU

António Guterres fez discurso no Quinto Comitê da ONU sobre situação financeira das Nações Unidas; chefe da ONU apresentou conclusões de relatório para resolver problemas de financiamento.

O secretário-geral da ONU disse esta terça-feira ao Quinto Comitê da ONU que a crise financeira da organização “tem muitas causas e cada uma delas precisa de uma resposta diferente”.

António Guterres afirmou que “não se pode continuar evitando” o problema porque está “debilitando o cumprimento dos mandados” e “os esforços de reforma.”

Problemas 

Guterres disse que os Estados-membros foram capazes de lidar “com muitos problemas complexos nos últimos anos” e conseguiram “encontrar pontos em comum e atuar no melhor no interesse da organização.”

Ele afirmou que é possível “fazer o mesmo novamente neste momento crítico.”

Em março, Guterres apresentou um relatório que examina as causas profundas do problema e oferece propostas de resolução. 

Quanto ao orçamento regular, o secretário-geral disse que  “enfrenta sérios problemas de liquidez”. Segundo ele, “embora isso tenha ocorrido antes, a situação atual é muito pior.”

Em relação aos orçamentos das missões de manutenção da paz, Guterres afirmou que “enfrentam constantemente desafios de liquidez”, que “colocam em risco o funcionamento das operações e as pessoas que atuam em ambientes difíceis.”

Soluções

O secretário-geral afirmou que, se a deterioração da situação financeira não for abordada “com urgência e prontidão”, a organização “corre o risco de prejudicar o seu trabalho e reformas.” 

Guterres terminou dizendo aos Estados-membros que conta “com o seu total apoio às soluções de bom senso que permitirão sair da atual situação insustentável.”