Guiné-Bissau foi tema de conversa entre secretário-geral da ONU e chefe da diplomacia portuguesa

4 junho 2019

O atraso na nomeação do novo governo foi um dos temas em discussão durante encontro entre ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal Augusto Santos Silva e António Guterres; Venezuela foi outro tema do encontro realizado esta terça-feira.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal discutiu a situação na Guiné-Bissau com o secretário-geral, António Guterres, durante um encontro na sede da ONU esta terça-feira.

Em declarações à ONU News, Augusto Santos Silva disse que o tema “é uma preocupação” do chefe da ONU e do governo português.

Eleições

O ministro disse que “Portugal acompanha de muito perto a situação política” no país, e que apoiou a realização das eleições legislativas de 10 de março.

Para o representante, “as eleições foram muito participadas, decorreram de forma muito serena, e foram consideradas eleições completamente transparentes e regulares por todos os observadores internacionais.”

“Dessas eleições resultou uma relação de forças na Assembleia, que conseguiu formar uma maioria de apoio a um governo. Portanto, não compreendemos porque é que esse governo ainda não foi formado. Isso é, porque é que o presidente da República da Guiné-Bissau ainda não indigitou o primeiro-ministro ou primeira ministra para governar o país.”

No final de maio, o grupo de cinco organizações internacionais envolvidas no processo de consolidação da paz na Guiné-Bissau, chamado P5, pediu a nomeação urgente de um novo primeiro-ministro e a formação de um novo governo.

O coletivo integra a União Africana, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, e a Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental, Cedeao, a União Europeia e as Nações Unidas.

Nomeação

Augusto Santos Silva disse que também falou com António Guterres sobre a nomeação do novo representante especial do secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau. O diplomata José Viegas Filho terminou funções em maio.

“O secretário-geral das Nações Unidas deve agora nomear outro enviado especial, visto que o trabalho do representante que estava em funções terminou, e estive a trocar umas impressões sobre o secretário-geral das nações unidas sobre essa matéria.”

Venezuela

A situação na Venezuela foi outro dos temas abordados durante o encontro.

Na segunda-feira, Santos Silva participou em um encontro na sede da ONU, em Nova Iorque, que juntou representantes do Grupo de Lima, do Grupo de Contato Internacional e a alta-representante da União Europeia, UE, para a Política Externa e Segurança, Federica Mogherini.

“Estive a informar o secretário-geral das conclusões fundamentais da reunião havida aqui, mesmo, entre o Grupo de Contato Internacional, formado pela União Europeia e quatro países latino-americanos, e o Grupo de Lima. Explicando que a posição do Grupo de Contato, da União Europeia e de Portugal é de favorecer, por via do diálogo, do compromisso e do envolvimento das várias partes, um processo de transição pacífica.”

Para Santos Silva, isso só pode acontecer “através da realização de novas eleições, desta vez livres, justas e em que todos os candidatos possam participar.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud