Soldado de paz nigeriano morre em ataque no Mali

19 maio 2019

Secretário-geral condenou dois ataques ocorridos neste sábado contra missão da ONU no país; Guterres lembrou ainda que “ataques contra forças de paz das Nações Unidas podem ser considerados crimes de guerra de acordo com a lei internacional”.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, o secretário-geral da ONU condenou os ataques ocorridos neste sábado, 18 de maio, contra a Missão das Nações Unidas no Mali, Minusma.
 
António Guterres disse estar “profundamente triste com a morte de um soldado de paz nigeriano que não resistiu aos ferimentos após o ataque armado por autores não identificados em Timbuktu”. O representante expressou suas sinceras condolências à família da vítima e ao governo da Nigéria e desejou uma rápida recuperação para um outro boina-azul nigeriano que foi ferido no mesmo incidente.

Ataques

O chefe das Nações Unidas desejou também uma rápida recuperação a três soldados de paz do Chade, que foram feridos quando seu veículo protegido contra minas atingiu um dispositivo explosivo improvisado em Tessalit, na região de Kidal.
 
O secretário-geral lembra que “os ataques contra as forças de paz das Nações Unidas podem ser considerados crimes de guerra de acordo com a lei internacional”. Ele fez um apelo para que as autoridades do Mali tomem medidas rápidas para identificar os autores desses ataques e prontamente possam levá-los à justiça.

Estabilidade 

Guterres reafirmou a solidariedade das Nações Unidas com o povo e o Governo do Mali e o seu apoio na busca pela paz e estabilidade.

Segundo as Nações Unidas, a missão de paz no Mali é a mais perigosa em todo o mundo para os boinas-azuis da organização.
 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Soldado de paz egípcio morre em novo ataque no Mali

Quatro boinas-azuis ficaram feriados no ato causado por dispositivo improvisado; secretário-geral António Guterres expressou suas mais profundas condolências à família da vítima e ao Governo do Egito. 

ONU pede investigações de ataques cometidos no Mali

Ciclo de violência do último ano já provocou mais de 600 mortos e milhares de deslocados; ataque de sábado vitimou 153 pessoas; confrontos resultam de perseguição a grupos extremistas violentos.