OMM alerta para aquecimento contínuo do Ártico

9 maio 2019

Novo estudo confirma aumento das temperaturas; perda de gelo marinho e alterações nos ecossistemas terrestres e marinhos são principais preocupações; alterações ameaçam atividades económicas da região.

A Organização Meteorológica Mundial, OMM, informou que novas observações levadas a cabo confirmaram o aquecimento contínuo do Ártico.

Esta situação está a impulsionar muitas das mudanças em curso na região, incluindo a perda de gelo marinho e alterações nos ecossistemas terrestres e marinhos.

Impactos

Aquecimento do Ártico está a impulsionar muitas das mudanças em curso na região, incluindo a perda de gelo marinho e alterações nos ecossistemas terrestres e marinhos.​​​​​Foto ONU/ Mark Garten

Segundo a Atualização sobre Mudanças Climáticas do Programa de Monitoramento e Avaliação do Ártico esta realidade está a afetar as comunidades e as economias da região.

De acordo com a OMM, a acidificação do oceano Ártico é uma ameaça emergente, que poderá levar ao colapso de algumas importantes pescas comerciais e atividades de subsistência do Ártico.

A região representa um décimo da pesca comercial global, sendo que fornece alimentos vitais aos residentes do Ártico.

Poluição

Um outro relatório da OMM analisou os efeitos biológicos da poluição na vida selvagem do Ártico.

Sustâncias poluentes estão a ser transportadas para lá por ventos e correntes oceânicas, incluindo algumas que estão banidas globalmente.

Segundo a organização, elas continuam a representar ameaças à saúde da vida selvagem e dos ecossistemas do Ártico, levantando preocupações quanto à viabilidade de algumas populações de animais do Ártico.

A OMM destaca que apesar das iniciativas globais para restringir a produção de produtos químicos, como o mercúrio, os níveis em algumas espécies predadoras do Ártico continuam elevados e não estão a diminuir, mesmo depois de terem sido implementadas restrições.

Conselho do Ártico

O Programa de Monitoramento e Avaliação do Ártico, Amap, é o grupo de trabalho do Conselho do Ártico responsável por monitorar e avaliar a situação da poluição e das mudanças climáticas e seus impactos naquela região.

O Conselho do Ártico é o principal fórum intergovernamental que promove a cooperação, a coordenação e a interação entre os Estados e as comunidades do Ártico, particularmente em questões de desenvolvimento sustentável e proteção ambiental.

Uma sessão ministerial reuniu os representantes dos Estados do Ártico, delegações das seis organizações indígenas e os seis grupos de trabalho do Conselho.

A OMM tem estatuto de observador desde 2017.

Sustentabilidade

A Finlândia, que presidiu o Conselho nos últimos dois anos, entregou a presidência à Islândia, que informou que as suas prioridades se focarão no desenvolvimento sustentável da região.

O aquecimento médio anual observado e projetado no Ártico continua a ser mais que o dobro da média global, com maiores aumentos no inverno.

As temperaturas da superfície anual do Ártico nos últimos cinco anos foram as mais elevadas desde 1990.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres alerta para “impacto dramático” de eventos climáticos

Em 2018, 14 episódios climáticos provocaram estragos de US$ 1 bilhão; presidente da Assembleia Geral da ONU considera que “é urgente agir”; encontro de alto nível discute mudança climática e desenvolvimento sustentável.

Últimos quatro anos foram os mais quentes já registrados

Organização Meteorológica Mundial diz que aumento da temperatura é sinal claro de mudança climática a longo prazo; agência da ONU considera nível de aquecimento durante os últimos quatro anos excepcional; secretário-geral disse que novos dados "confirmam urgência de abordar ação climática".