Moçambique: 368 mil crianças em risco em após o segundo ciclone devastador

27 abril 2019

Unicef alerta que crianças e famílias podem enfrentar enchentes mortais e deslizamentos de terra; meteorologistas alertam para continuação das chuvas; secretário-geral da ONU deve visitar país em breve. 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, alerta que 368 mil crianças, em Moçambique, estão agora em risco e poderão necessitar de apoio humanitário.  O país foi atingido por uma segunda grande tempestade, o ciclone Kenneth, seis semanas depois do ciclone Idai ter deixado um rasto de destruição.  

As autoridades moçambicanas confirmaram que, até ao momento, cinco pessoas perderam a vida e mais de 29 mil casas foram destruídas devido ao fenómeno.  

Previsão

O ciclone Kenneth chegou quinta-feira passada à província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, como uma tempestade de categoria 4. Os meteorologistas alertam que pode continuar a chover durante dias, colocando as áreas afetadas em maior risco de inundações e de deslizamentos de terra.

O Unicef sublinha ainda que o movimento de pessoas é uma “grande preocupação”, uma vez que o Kenneth destruiu 90% dos lares em algumas aldeias.

O representante adjunto do Unicef em Moçambique, Michel Le Pechoux, destaca que Cabo Delgado não tem um historial de ciclones, por isso, a agência está “profundamente preocupada que as comunidades na área não estejam preparadas para a escala da tempestade, colocando crianças e famílias numa situação muito precária.”

Ajuda

Em nota, o representante lembra também que o solo “está saturado de chuva e os rios já estão a transbordar”, por isso, a situação provavelmente piorará com as enchentes nos próximos dias. Ele garantiu que o Unicef faz tudo o que pode “para reunir equipas e recursos no local para manter as pessoas seguras.”

O Unicef informa ainda que já tem equipas em Cabo Delgado, especializadas em saúde, nutrição, proteção infantil, água e saneamento, e que estão a distribuir ajuda humanitária, incluindo kits de saúde. A agência está a avaliar a situação para determinar a escala do desastre nos próximos dias.

Parte da destruição deixada pelo ciclone Kenneth que atingiu Moçambique em 25 de abril de 2019.​​​​​​​PMA

Esta é a primeira vez, desde que há registo, que dois ciclones tropicais fortes atingem Moçambique durante a mesma estação. 

Apelo

O ciclone tropical Kenneth segue os passos do Ciclone Tropical Idai, que provocou mais de 600 mortos.  A devastação causada pelos dois ciclones pode potencialmente fazer com que 1,4 milhão de crianças necessite de assistência humanitária em todo o norte e centro de Moçambique. 

Após o ciclone Idai, em março, o Unicef lançou um apelo de US$ 122 milhões para apoiar a resposta humanitária a crianças e às respetivas famílias afetadas pela tempestade em Moçambique, no Zimbábue e no Malauí nos próximos nove meses.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe da ONU deve visitar Moçambique após ciclones

Revelação do secretário-geral da ONU foi feita após reunião com o presidente moçambicano em Pequim; passagem de ciclones de categoria 4 pelo território moçambicano “não tem precedentes” na mesma temporada.

Moçambique avalia efeitos do ciclone Kenneth que passou a depressão tropical

ONU confirma que fenômeno foi inédito na era do satélite; região afetada terá dobro da intensidade de chuvas ocorridas há seis semanas por causa do ciclone Idai na cidade da Beira; missão internacional a caminho de Moçambique para avaliar lições aprendidas para temporadas de ciclones.