Lusófonos podem concorrer ao Programa de Jovens Profissionais da ONU

15 abril 2019

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste estão na lista da edição deste ano; candidatos da Guiné-Equatorial, o mais novo membro da Cplp, também estão contemplados; programa destina-se a contratar jovens que queiram fazer carreira nas Nações Unidas.

As Nações Unidas divulgaram a lista de países que farão parte da edição deste ano do Programa de Jovens Profissionais da ONU, YPP na sigla em inglês. Quase todos os países lusófonos foram contemplados, sendo Portugal a única exceção.

Cidadãos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe  e Timor-Leste podem concorrer ao exame de 2019 que culmina com o recrutamento e seleção desde que tenham menos de 32 anos.

Critérios

Todas as novas vagas de emprego para cargos profissionais de nível de entrada no Secretariado das Nações Unidas, P-1 e P-2, são preenchidas apenas com os candidatos selecionados por este programa. Foto ONU/ Mark Garten

Os requisitos de participação incluem ser fluente em inglês ou em francês e ter concluído um curso universitário.

O YPP é, atualmente, o maior programa de contratação do Sistema das Nações Unidas e a única oportunidade para jovens profissionais com pouca experiência conseguirem uma posição na organização como funcionário permanente.

Dependendo das necessidades das Nações Unidas, os jovens são convidados a candidatarem-se a diferentes "famílias de empregos", com diferentes responsabilidades, locais e requisitos.

Processo

O processo de recrutamento de seleção para o YPP da ONU consiste em três etapas: fase de candidatura, exame escrito e entrevista.

Os candidatos que passarem por essas etapas são reconhecidos como  “bem-sucedidos” e passam a integrar a “Lista de Jovens Profissionais das Nações Unidas.” 

Todas as novas vagas de emprego para cargos profissionais de nível de entrada no Secretariado das Nações Unidas, P-1 e P-2, são preenchidas apenas com os candidatos selecionados por este programa. 

A Organização oferece um contrato a prazo, com a duração de dois anos, no início de sua carreira profissional e, no caso do seu desempenho ser satisfatório, recebe um contrato contínuo, para desenvolver a sua carreira nas Nações Unidas.

Saiba como concorrer aqui.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Para empoderar jovens, Cabo Verde prioriza pessoas mais necessitadas e igualdade de gênero

Em entrevista à ONU News, secretário de Estado da Juventude destacou iniciativas na área da formação profissional e apoio ao empreendedorismo; Carlos Monteiro foi um dos participantes do Fórum da Juventude esta semana nas Nações Unidas.

População dos países lusófonos mais do que duplicou nos últimos 50 anos

Relatório do Unfpa mostra que há atualmente 291,4 milhões de pessoas neste bloco; população de Angola triplicou desde 1969; taxa de fertilidade recua em todos os países.