Explosão perto de escolas no Iêmen mata 14 crianças

9 abril 2019

Maioria das vítimas eram meninas que estavam nas aulas; mais de 2 milhões de crianças não vão à escola no país; em pouco mais de três anos, 2.672 crianças perderam a vida como resultado do conflito e 4.371 ficaram feridas. 

Uma explosão na cidade de Sanaa, no Iêmen, matou 14 crianças em uma escola e feriu outras 16 no domingo, 7 de abril. A maioria das vítimas tinha menos de nove anos.

Em nota, o enviado especial da ONU para o Iémen, Martin Griffiths, disse estar “profundamente triste” com a situação e informou que a maioria das vítimas eram meninas que estudavam na escola.

ONU: a estimativa é de que 85 mil crianças no Iémen tenham perdido a luta contra a fome desde 2015, by Unicef/UN0276450/Almahbashi

Vítimas

Griffiths ofereceu as suas condolências aos afetados e aos iemenitas, dizendo que estes “continuam a sofrer os impactos devastadores do conflito” em todo o país.

O enviado especial disse que “esta perda de vidas mostra o terrível impacto que o conflito continua a ter sobre os mais vulneráveis da sociedade e sobre a infraestrutura e os serviços essenciais do país.”

O representante pediu a todas as partes que realizem “os esforços possíveis para pôr fim ao sofrimento civil e permitir que os jovens iemenitas cresçam em paz e segurança.” Para ele, “somente uma solução política inclusiva encerrará este ciclo de violência e destruição.”

Crianças

Em nota, o diretor regional do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, para o Oriente Médio e Norte da África disse que o número de mortos e feridos ainda deve aumentar.

Geert Cappelaere informou que muitas das crianças gravemente feridas “lutam por suas vidas.” Uma das meninas morreu devido aos ferimentos na segunda-feira.

Segundo o Unicef, o incidente ocorreu perto de duas escolas. Era quase hora do almoço e os alunos estavam nas aulas. A explosão quebrou as janelas e espalhou estilhaços de vidro.

Cappelaere disse que “é difícil imaginar o horror que as crianças passaram.” O representante também referiu “o horror e culpa que os pais podem sentir por ter feito o que todo pai deseja fazer, mandar os filhos para a escola.”

Desde segunda-feira, o Unicef mobiliza assistência para as crianças e famílias, incluindo apoio psicossocial, cobrindo custos de cirurgias e tratamentos médicos e dando assistência a famílias para que elas viajem com seus filhos enquanto recebem cuidados.

Escolas

O representante do Unicef disse que a explosão lembra como as escolas não estão seguras no Iêmen.

Um em cada cinco estabelecimentos de ensino não pode ser usada como resultado direto do conflito. Alguns foram atacados, outros estão sendo usados para fins militares.

Mais de 2 milhões de crianças não vão à escola. Segundo o Unicef, a explosão de ontem pode fazer com que ainda menos pais enviem os filhos para a escola.

Violência

Desde o início do ano, mais de 400 crianças foram mortas ou gravemente feridas no Iêmen. A 9 de março, um ataque em Hajjah, a norte de Hodeida, vitimou 12 crianças e feriu 14.

Entre 26 de março de 2015 e dezembro de 2018, 2.672 crianças foram mortas como resultado do conflito e 4.371 foram feridas.

Segundo o Unicef, estes são apenas os números que as Nações Unidas foram capazes de verificar. A agência afirma que “os números reais provavelmente serão muito mais altos.”

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU alerta para novo aumento de mortes no Iêmen

Desde o início do ano e até 17 de março, quase 109 mil casos de diarreia aguda e suspeita de cólera foram registrados; Iêmen teve o maior surto mundial destes problemas em 2017; conflito no país começou há quatro anos.