FAO: Combater desnutrição e promover inovação na agricultura são prioridades

8 abril 2019

Diretor-geral faz balanço dos últimos anos; Graziano da Silva ressaltou sucesso da organização em reduzir custos e em ser mais eficiente; agência tem agora mais de 100 novos parceiros que contribuem com mais de US$ 200 milhões

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva, anunciou que o combate à desnutrição e a promoção da inovação na agricultura serão as grandes prioridades da organização para os próximos dois anos.

Em discurso de abertura ao Conselho da FAO, em Roma, o representante sublinhou que é necessário fazer mais do que se “concentrar em combater a fome", é preciso “erradicar todas as formas de desnutrição” numa altura em que “há um crescimento constante nos níveis de sobrepeso e obesidade em todo o mundo.”

Graziano da Silva lembrou que, “enquanto a fome é circunscrita a áreas específicas, a obesidade está em toda parte”, enfatizando que se vive um período de “globalização da obesidade."

Atividades

Graziano da Silva lembrou que, “enquanto a fome é circunscrita a áreas específicas, a obesidade está em toda parte”, enfatizando que se vive um período de “globalização da obesidade."
FAO/Luis Tato

A FAO irá organizar uma conferência de segurança alimentar no final deste mês em Genebra, em conjunto com a Organização Mundial da Saúde, OMS, e a Organização Mundial do Comércio, OMC.

Outra data relevante anunciada é o lançamento da Década da Agricultura Familiar da ONU, que acontecerá no final de maio, e ainda a reunião das Partes do Acordo sobre Medidas dos Estados Portuários da FAO, Psma, em junho. Este é o primeiro instrumento internacional vinculativo que tratará especificamente da Pesca Ilegal, Não Declarada e Não Regulamentada.

Contribuições

Em jeito de balanço, Graziano da Silva também ressaltou o sucesso da organização em reduzir de custos e o esforço de se tornar mais eficiente, eficaz e orientada para resultados, bem como ter uma maior capacidade “para atrair mais contribuições voluntárias.”

O diretor-geral destacou o forte aumento de parcerias realizadas dos últimos anos, de 20 novos parceiros em 2012, com uma contribuição de US$ 28 milhões, para mais de 100 novos parceiros hoje, que contribuem com mais de US$ 200 milhões.

Segundo o responsável, neste período, o envolvimento da FAO em programas conjuntos e plataformas interinstitucionais com agências da ONU quase que duplicou, representando um aumento de contribuições do sistema da ONU em 100%, para os atuais US$ 800 milhões.

Agenda

A atual sessão do Conselho termina na sexta-feira e, além da agenda principal, também inclui uma série de eventos paralelos, focados em temas como a biodiversidade para alimentos e agricultura, incluindo uma apresentação das conclusões do primeiro relatório sobre o tema.

Graziano da Silva termina o seu mandato em julho. Os candidatos ao cargo de diretor-geral da FAO, Ramesh Chand, da Índia, Davit Kirvalidze, da Geórgia, Qu Dongyu, da China, e Catherine Geslain-Lanéelle, da frança, também irão intervir neste encontro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Insegurança alimentar severa atinge cerca de 113 milhões de pessoas no mundo

Segundo relatório, mais da metade dos atingidos, 74 milhões de pessoas, vivem em 21 países afetados por conflitos ou insegurança; em 2018, clima e desastres naturais levaram 28 milhões de pessoas à fome.

 

Moçambique: FAO diz que ciclone Idai aumenta necessidade de recursos para populações

Representante da agência afirma que tempestade vai alterar projeção das necessidades da agência; estimativas para ações de apoio entre janeiro e março eram de US$ 11 milhões para assistir 500 mil pessoas. *