Guterres chega à Líbia para apoiar estabilização do país

3 abril 2019

Secretário-geral lembra urgência de “unificar as instituições” líbias; no Egito, elogiou o papel do país em evitar escalada de conflitos em Gaza; ONU vai ter estratégia de combate ao discurso de ódio.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, aterrou na Líbia, esta quarta-feira, para apoiar o processo de estabilização do país que está em conflito há oito anos.

Falando aos jornalistas ainda no Cairo, antes de partir para a Líbia, Guterres explicou que “é essencial unificar as instituições da Líbia” para que o país possa retomar um caminho de paz e prosperidade.

Condições

O secretário-geral está esperançoso de que as negociações que têm tido lugar entre as partes resultem num entendimento que poderá ser consolidado na conferência sobre o país que acontecerá em breve.

Para o representante, é necessário criar as condições para que a Líbia volte a ser “um parceiro de pleno direito na comunidade internacional, com instituições normalizadas, com a sua economia a florescer” também para benefício de toda a região.

Egito

Guterres enalteceu o papel que o Egito tem desempenhado no âmbito do conflito israelo-árabe e como foi responsável por evitar “uma escalada dramática em Gaza”.,, by Unifeed Video

No Egito, o secretário-geral reuniu-se com o presidente do país, Abdelfattah al Sisi, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sameh Hassan Selim, e destacou como o país é um “parceiro fundamental para a ONU em relação à paz e segurança na região.”

Guterres enalteceu o papel que o Egito tem desempenhado no âmbito do conflito israelo-árabe e como foi responsável por evitar “uma escalada dramática em Gaza”, mas também de criar condições para uma entrega de ajuda humanitária mais eficaz.

Referindo-se à solução do conflito, Guterres reiterou a posição da ONU numa “solução que precisa ser baseada em dois Estados com Jerusalém como capital de ambos os Estados” para que possam viver “juntos em paz e segurança.”

Discurso de Ódio

Em resposta aos jornalistas, o secretário-geral adiantou ainda que a ONU está a trabalhar em várias frentes para travar o discurso de ódio que, de acordo com Guterres, tem proliferado.

Por um lado, Guterres garantiu que o Documento sobre Fraternidade Humana para a Paz Mundial, uma declaração conjunta do Papa Francisco da Igreja Católica e do Xeique Ahmed el-Tayeb, Grande Imam de Al-Azhar, seja divulgado em todas as organizações do sistema das Nações Unidas.

O secretário-geral adiantou ainda que o conselheiro especial da ONU para a Prevenção do Genocídio vai coordenar um grupo de subsecretários-gerais das Nações Unidas para preparar uma estratégia contra o discurso do ódio.

Para ele, “a estratégia da ONU contra o discurso do ódio é essencial não só para combater a propagação da xenofobia, do racismo, ódio antimuçulmano e antissemitismo mas também a propagação de ideologias terroristas e os aspetos relacionados.”

Guterres informou ainda que pediu ao responsável pela Aliança das Civilizações, Miguel Ángel Moratinos, para promover uma campanha global sobre a proteção de locais religiosos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Nações Unidas reafirmam cooperação com países árabes

Chefe da  ONU discursou este domingo na Cimeira da Liga dos Estados Árabes, em Tunes, na Tunísia; secretário-geral elogia espírito de acolhimento a refugiados; Guterres destaca vontade da sociedade civil  em promover direitos humanos e crescimento económico. 

Guterres acredita em solução política para a Líbia

Chefe da ONU participou em reunião de alto nível para debater aproximação entre as partes do conflito; organizações internacionais vão reforçar apoio ao país; grupo armados disputam poder há oito anos.