Secretário-geral: vítimas da queda de avião na Etiópia “eram espelho da ONU”

19 março 2019

175 pessoas morreram, incluindo 21 funcionários das Nações Unidas; Guterres destaca caráter “excecional” de trabalhadores humanitários internacionais e ativistas; em artigo de opinião, secretário-geral recorda importância do multilateralismo.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que o seu “coração afundou” quando teve conhecimento que um avião se tinha despenhado enquanto fazia a ligação entre Addis Ababa, na Etiópia, e Nairobi, no Quénia.

Em artigo de opinião publicado esta terça-feira na imprensa, Guterres homenageia as 157 vítimas de dezenas de nacionalidades, incluindo “21 colegas da ONU” que perderam a vida.

Segundo a imprensa internacional, as primeiras investigações concluem que há semelhanças com o acidente de outubro passado a um voo na Indonésia.

Homenagem

Guterres lembra que muitos trabalharam na manutenção da paz e no combate às alterações climáticas, no empoderamento das mulheres e na redução de plástico nos oceanos.
Guterres lembra que muitos trabalharam na manutenção da paz e no combate às alterações climáticas, no empoderamento das mulheres e na redução de plástico nos oceanos.Foto ONU/ Manuel Elias

Guterres destaca que esta rota, que liga a sede etíope da União Africana com a sede africana das Nações Unidas no Quénia, é “tão familiar” que é chamada de “autocarro da ONU”. 

O secretário-geral recorda que estes funcionários “eram um espelho da ONU”, mulheres e homens, jovens profissionais e funcionários, vindos de todos os cantos do mundo e com uma vasta experiência.

Guterres lembra que muitos trabalharam na manutenção da paz e no combate às alterações climáticas, no empoderamento das mulheres, na redução de plástico nos oceanos e no auxílio às pessoas que são forçadas a fugir de suas casas.

Multilateralismo

O chefe da ONU constata que se juntaram ao “malfadado voo” de muitos outros parceiros da sociedade civil e humanitários, “uma constelação de ativistas e ativistas que a ONU reúne rotineiramente.”

No artigo de opinião, Guterres lembra que estes indivíduos eram “excecionais”, cujo envolvimento é fundamental para o multilateralismo.

Numa altura em que se desvaloriza o multilateralismo, o secretário-geral da ONU enfatiza que este é “pessoas em todo o mundo que unem forças para tornar o mundo um lugar melhor.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud