Enviado da ONU condena "prisões e violência" por forças de segurança do Hamas durante protestos em Gaza
BR

17 março 2019

Nickolay Mladenovo disse que estava "particularmente alarmado com a agressão brutal de jornalistas e funcionários da Comissão Independente dos Direitos Humanos e invasão de casas; palestinos protestam contra a deterioração da situação econômica. 

Em comunicado divulgado este domingo o coordenador especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio, Nickolay Mladenov, condenou veementemente a resposta violenta das forças de segurança nos últimos três dias aos protestos palestinos contra a deterioração da situação econômica na Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas.

Segundo agências de notícias, palestinos tomaram as ruas na quinta e na sexta-feira, após meses de disputas e impasses entre uma facção do Hamas e a Autoridade Nacional Palestina na Cisjordânia, liderada pelo Fatah, assim como com autoridades israelenses, que controlam todos os acessos à Gaza sob uma política de bloqueio de anos.

Coordenador especial da ONU para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, by ONU/Loey Felipe

Taxas

O fornecimento de eletricidade tem sido esporádico há meses, com Israel também retendo as entregas de combustível em retaliação a ataques com foguetes. Recentemente, Israel teria decidido reter cerca de US$ 140 milhões em transferências de impostos para os palestinos.

Ainda de acordo com agências, o Hamas teria imposto taxas extras aos produtos básicos em toda a Faixa de Gaza, uma das questões que também alimentaram os protestos desta semana contra a crise econômica na região. De acordo com os relatos,  jovens exibiram cartazes citando “abaixo com o aumento de preços” e "a revolta dos famintos”.

Repressão

Mladenov disse que condenava "veementemente a campanha de prisões e violência usada pelas forças de segurança do Hamas contra os manifestantes, incluindo mulheres e crianças, em Gaza nos últimos três dias”.

Agências de notícias teriam relatado também que a violenta repressão das manifestações pelas forças de segurança do Hamas incluiu esforços para confiscar os telefones dos repórteres e evidências da resposta intensa. Mladenov disse que estava "particularmente alarmado com a agressão brutal de jornalistas e funcionários da Comissão Independente dos Direitos Humanos, além da invasão de casas. ”

De acordo com as agências,, centenas de pessoas que participaram das manifestações teriam sido detidas durante o fim de semana.

Para o coordenador especial da ONU, “o povo de Gaza, que sofre há tanto tempo, estava protestando contra a terrível situação econômica e exigiu uma melhoria na qualidade de vida na Faixa de Gaza”. Ele acrescentou que é o direito do povo de Gaza  “protestar sem medo de represálias”.

Acordo

Mladenov pediu que "facções palestinas se envolvam seriamente com o Egito para implementar o Acordo do Cairo na íntegra”. Ele se  referia ao acordo fechado em outubro de 2017, entre Hamas e Fatah, pelo fim de mais de uma década de divergências que começaram com a vitória do Hamas nas urnas em Gaza, em 2006.

O coordenador especial destacou que "as Nações Unidas continuarão seus esforços para evitar a escalada, aliviar o sofrimento das pessoas em Gaza, suspender os bloqueios e apoiar a reconciliação”. 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Documentário com diretora brasileira tem exibição nas Nações Unidas

“Naila e o Levante” fez parte de evento paralelo que marcou o Dia Internacional da Mulher em Nova Iorque; Julia Bacha falou à ONU News sobre importância da participação feminina nos processos de paz.

Esperança de paz no Oriente Médio diminui todos os dias, diz enviado da ONU   

Conselho de Segurança realizou encontro para debater situação na região; secretária-geral assistente das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários, Ursula Mueller, também participou na sessão.