Guterres diz que participação feminina “é mais necessária que nunca”
BR

11 março 2019

As Nações Unidas iniciaram esta segunda-feira a 63ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher. Até 22 março, a reunião discutirá a proteção social, o acesso a serviços públicos e a infraestrutura sustentável a mulheres e meninas.

Discursando no evento, o secretário-geral António Guterres reiterou que a igualdade de gênero é essencialmente uma questão de poder.

O chefe da ONU enfatizou que o mundo atual não pode progredir sem as vozes, as ideias e a participação feminina em todas as áreas da sociedade.

120 representantes de alto nível e cinco mil participantes da sociedade civil estarão presentes na 63ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Direitos

Guterres disse que as mulheres são mais necessárias do que nunca. E que apesar mobilizaçãoda de ativistas da igualdade de gênero , há um retrocesso profundo, generalizado e implacável nos direitos femininos no mundo.

O chefe das Nações Unidas destacou que a organização “não vai voltar atrás” e que continuará pressionando pela igualdade de gênero e pelo empoderamento das mulheres.

Guterres disse que pela primeira vez na história há mais mulheres do que homens no Grupo de Gestão Sênior e paridade de gênero entre os coordenadores residentes, e mais mulheres liderando operações de paz do que nunca.

Em discurso, a presidente da Assembleia Geral María Fernanda Espinosa disse que em todas ações e oportunidades assegura que coloca a igualdade de gênero e os direitos das mulheres no centro do diálogo, dos compromissos e das decisões.

ONU/ Loey Filipe
María Fernanda Espinosa disse que em todas ações e oportunidades assegura que coloca a igualdade de gênero e os direitos das mulheres no centro do diálogo

Decisões

Entre os vários desafios ela disse que “tudo será mais fácil se conseguirmos uma maior participação das mulheres na política e no poder”. Espinosa disse que é preciso ter mais mulheres tomando decisões para reduzir lacunas relacionadas à desigualdade.

Ela disse que essa é a razão que levou a convocar um Evento de Alto Nível sobre "Mulheres no Poder" nesta terça-feira que considera um novo momento para revitalizar a agenda de igualdade.  

Espinosa disse que é preciso agir, fazer e transformar. Para a presidente, a união de mulheres e homens pode construir sociedades mais justas, inclusivas, sustentáveis ​​e pacíficas. 

 

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

CSW 63: Igualdade de gênero e empoderamento feminino marcam duas semanas de eventos na ONU

Comissão sobre o Estatuto da Mulher registra recorde de mais 9 mil delegados inscritos; Nações Unidas veem nova oportunidade para mobilização e planejamento de iniciativas nas sessões que acontecem entre 11 e 22 de março.

Especial: ONU recebe milhares de delegadas na Comissão sobre Estatuto da Mulher

Países lusófonos participam no fórum que é dos maiores que aborda direitos femininos no mundo; ONU News falou com representantes de Portugal, Cabo Verde e Moçambique; Cplp organiza debate sobre combate ao feminicídio.