Prevenção levou à queda de 30% na taxa de novas infecções por HIV em áreas da África
BR

6 março 2019

Para Unaids, novo estudo regional reforça apelo por mais agentes comunitários de saúde e necessidade de maior investimento em prevenção e tratamento; comunidades urbanas na Zâmbia e na África do Sul participaram em pesquisa apresentada nos EUA.

O Programa Conjunto sobre HIV/Aids, Unaids, elogiou os resultados do estudo que examinou o impacto de intervenções para prevenir a incidência do vírus em comunidades africanas.

O relatório do estudo chamado Hptn071, PopAR, aponta um declínio de 30% em novas infecções por HIV em locais onde houve ações de prevenção do HIV, incluindo aconselhamento, testagem domiciliar e o encaminhamento para tratamento de pessoas soropositivas, de acordo com as diretrizes do país.

Unaids elogiou os resultados do estudo que examinou o impacto de intervenções para prevenir a incidência do HIV em comunidades africanas. Foto: Unaids

Zâmbia e África do Sul

O estudo foi o maior deste tipo e ocorreu entre 2013 e 2018. A pesquisa envolveu 21 comunidades urbanas na Zâmbia e na África do Sul, cobrindo uma população total de 1 milhão de pessoas.

Os resultados foram apresentados durante a Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas, que encerra nesta quinta-feira em Seattle, nos Estados Unidos.

Impacto

Segundo o diretor executivo do Unaids, Michel Sidibé, o estudo “demonstra claramente o impacto crítico da prevenção, testagem e vinculação ao tratamento baseados na comunidade”.

Para o representante, “isso reforça o apelo do Unaids por mais agentes comunitários de saúde em toda a África e a necessidade de maior investimento na prevenção e tratamento do HIV, incluindo novas e melhores ferramentas e sistemas para entregá-los.”

Unaids/Laurence Geai
Segundo o diretor executivo do Unaids, Michel Sidibé, reforça o apelo do Unaids por mais agentes comunitários de saúde em toda a África e a necessidade de maior investimento na prevenção e tratamento do HIV

Epidemia

A agência destaca que ainda não existe um método único de prevenção do vírus que proteja totalmente contra a infeção pelo HIV. Para acabar com a epidemia de Aids o programa recomenda uma combinação de opções de prevenção do vírus.

As ações incluem assegurar que todas as pessoas que vivem com o vírus tenham acesso imediato à terapia antirretroviral, o uso correto e consistente de preservativos masculinos ou femininos, o adiamento do início das relações sexuais, a redução de parceiros, a circuncisão masculina médica voluntária e o uso de profilaxia pós-exposição para pessoas com maior risco de infecção pelo HIV.

 

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Programa da ONU encorajado com anúncio de cura de paciente com HIV

Homem que vivia com o vírus em Londres parece estar livre da doença há 18 meses; Nações Unidas estimam que 37 milhões de pessoas viviam com este vírus em 2017; no mesmo ano, cerca de 1,8 milhões de novos casos foram registados.

Unaids pede fim de leis discriminatórias para respeitar e salvar vidas

Esta sexta-feira, 01 de março, é o Dia de Zero Discriminação; mulheres ainda precisam do consentimento do marido ou parceiro para ter acesso a serviços de saúde sexual e reprodutiva em cerca de 29 países.