Com promessas de US$ 2,6 bilhões, ONU destaca “sucesso” da conferência de doadores sobre o Iêmen
BR

26 fevereiro 2019

Arábia Saudita  e Emirados Árabes Unidos lideram doações; secretário-geral António Guterres disse que evento é ponto de partida para recolha de apoio humanitário.

As Nações Unidas anunciaram que as doações para garantir operações humanitárias no Iêmen já atingiram US$ 2,6 bilhões. O resultado marcou a conferência de doadores realizada esta terça-feira em Genebra.

O secretário-geral considerou que o evento foi “um sucesso”. António Guterres explicou que o montante corresponde a um aumento de 30% em relação aos US$ 2,01 bilhões colocados ao dispor da comunidade humanitária no ano passado.

António Guterres durante evento de alto nível da ONU para a crise humanitária no Iêmen. Foto: ONU

Promessas

O propósito das Nações Unidas é sustentar e ampliar esses tipos de ações, num momento em que a ajuda humanitária é essencial para milhões de iemenitas.

Na conferência, representantes de 16 países anunciaram promessas e um aumento significativo foi feito por parceiros como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, União Europeia, Alemanha e Canadá.

Falando a jornalista no fim do evento, o chefe da ONU disse que a esperança é que a conferência de doadores seja um ponto de partida. Ele disse acreditar que até o fim do ano haverá outras formas de apoio, promessas e contribuições para assegurar que sejam abordadas as necessidades extremamente dramáticas do povo iemenita.

O chefe da ONU disse que os iemenitas merecem solidariedade, porque foram capazes de abrir sempre suas fronteiras para refugiados vindos de países como a Somália e de outras partes da região, com enorme solidariedade. Ele destacou a generosidade do país com refugiados e pessoas necessitadas.

Fim do Conflito

Guterres considerou importante abordar os problemas humanitários dos iemenitas,  mas para ele o essencial é acabar com o conflito.

O secretário-geral elogiou o cessar-fogo para a cidade portuária de Hodeida que foi recentemente alcançando pelas partes do conflito em Estocolmo, e pelos entendimentos sobre outros aspectos. Ele destacou que a esperança do fim do conflito é acompanhada por desafios na implementação desse acordo.

O país enfrenta a pior crise humanitária do mundo. As Nações Unidas estimam que 24 milhões de pessoas, ou 80% da população, precisam de ajuda e proteção.

A meta da conferência de doadores era alcançar US$ 4 bilhões dos Estados-membros para avançar com ações de auxílio para beneficiar mais de 21 milhões de pessoas.

Unicef/UN0276450/Almahbashi
ONU: a estimativa é de que 85 mil crianças no Iémen tenham perdido a luta contra a fome desde 2015

Comparação

De acordo com a ONU, 10 milhões de pessoas estão apenas a um passo da fome. Mais da metade do financiamento deve ser canalizado para ajuda alimentar de emergência a 12 milhões de pessoas, um aumento de 50% em comparação ao ano passado.

O subsecretário-geral para os Assuntos  Humanitários, Mark Lowcock, disse que o conflito tem afetado mais as mulheres e crianças. Segundo ele, as crianças não começaram a guerra no Iêmen, mas estão pagando o preço mais alto.

Cerca de 360 mil menores de idade sofrem de desnutrição aguda severa, lutando por suas vidas todos os dias.

PMA/Reem Nada
Quando os conflitos começaram em 2015, o Iêmen já estava entre os países mais pobres do mundo.

Risco

Em relação a mulheres e meninas, Lowcock disse que estão sofrendo uma crise dentro de uma crise. Elas estão em maior risco de violência sexual e de gênero e de casamento infantil.

Mais de dois terços das meninas iemenitas são casadas antes de completarem 18 anos, o que marca uma subida de 50% em relação aos valores de antes do início do conflito.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unicef: “Iêmen é um inferno para as crianças”

Antecedendo conferência de doadores sobre o país que acontecerá esta terça-feira em Genebra, Unicef pede que crianças sejam priorizadas e que seus direitos fundamentais sejam respeitados; 1,2 milhão de crianças enfrentam o conflito diariamente no país.

Agência da ONU precisa urgentemente de US$ 464 milhões para alimentar 12 milhões de pessoas no Iêmen

Ajuda será distribuída nos próximos seis meses; na terça-feira, a ONU organiza com os governos da Suécia e Suíça uma conferência de doadores para ajudar o país.