OMI reforça programa que promove igualdade de género

7 fevereiro 2019

Agência da ONU quer dar mais visibilidade ao programa “Mulheres na Marinha” e lança novo logotipo; número de mulheres formadas aumentou de forma constante nos últimos anos; estão previstas várias atividades para 2019.

A Organização Marítima Internacional, OMI, lançou um novo logotipo para o seu programa “Mulheres na Marinha”, como parte da missão de apoiar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 5 das Nações Unidas, sobre igualdade de género.

A coordenadora do programa, Helen Buni, explicou que o programa vai apoiar a participação de mulheres tanto em postos em terra como no mar, através de uma ampla gama de atividades focadas na questão do género.

Novo logo do programa "Mulheres na Marinha" da OMI que apoia a participação de mulheres em postos de apoio em terra e no mar.OMI

Logotipo

O novo logotipo é apenas uma parte visível do programa e ajudará as mulheres a ganhar mais visibilidade e exposição em todo o setor marítimo.

O principal objetivo do “Mulheres no Mar” é encorajar os Estados-membros da OMI a abrirem as portas dos seus institutos marítimos para permitir que as mulheres tenham formação ao lado dos homens e adquiram os elevados níveis de competência que o setor marítimo exige.

Desde que o programa foi criado, há 31 anos, o seu portfólio de atividades tem vindo a crescer significativamente. A OMI facilitou o estabelecimento de sete associações regionais para mulheres no setor marítimo, em cerca de 152 países e territórios dependentes.

O programa oferece ainda bolsas que dão acesso a formação técnica de alto nível em países em desenvolvimento.

Exemplos

A OMI destaca o curso de longa duração "Mulheres na Gestão Portuária ", realizado em França, em parceria com o Instituto Portuário de Educação e Pesquisa e a Autoridade Portuária de Le Havre, onde, 48 mulheres de 32 países receberam formação em gestão portuária no ano passado. No total, 308 mulheres tiveram formação com esta atividade.

Na Universidade Marítima Mundial da IMO, na Suécia, a proporção de mulheres formadas aumentou de forma constante ao longo dos anos. Desde 1985 até 2018, formaram-se 1.029 mulheres num total de 4.919 alunos.

Já no Instituto Internacional de Direito Marítimo da OMI, formaram-se 361 mulheres até ao final do ano letivo de 2017-2018, de um total de 837 graduados.

Atividades

A OMI também facilita a identificação e seleção de mulheres para oportunidades de desenvolvimento de carreira em administrações marítimas, portos e institutos de educação marítima.

Para 2019, estão planeadas cerca de 10 atividades no âmbito do programa “Mulheres na Marinha” da OMI, incluindo conferências, cursos, workshops e reuniões regionais.

A coordenadora do programa reforça que a OMI “convida os Estados-membros, e particularmente as associações regionais para mulheres no setor marítimo, a usarem o novo logotipo.”

A OMI escolheu o tema “Empoderar as Mulheres na Comunidade Marítima” para o Dia Mundial do Mar este ano.

O programa “Mulheres na Marinha” é financiado em grande parte através do Fundo de Cooperação Técnica da OMI.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud