Comissão da ONU cita caso de Brumadinho para recomendar reforço de medidas de segurança BR

Indígenas Pataxó Hã-hã-hãe vivem na aldeia Naõ Xohã, às margens do rio Paraopeba que foi afetado pelo colapso da barragem em Brumadinho, no Brasil.
Lucas Hallel ASCOM/FUNAI
Indígenas Pataxó Hã-hã-hãe vivem na aldeia Naõ Xohã, às margens do rio Paraopeba que foi afetado pelo colapso da barragem em Brumadinho, no Brasil.

Comissão da ONU cita caso de Brumadinho para recomendar reforço de medidas de segurança

Clima e Meio Ambiente

Para Unece, acidentes trágicos podem ser prevenidos com diretrizes de segurança adotadas para Convenção sobre os Acidentes Industriais e Convenção da Água; dezenas de pessoas morreram após queda de barragem que aconteceu há uma semana em Minas Gerais.

A Comissão Econômica da ONU para a Europa, Unece, chamou a atenção internacional para a importância do uso das diretrizes adotadas pela instituição para prevenir acidentes como o ocorrido na cidade de Brumadinho há uma semana.

Segundo dados oficiais, o rompimento de uma barragem da mina Córrego do Feijão no estado de Minas Gerais já teve mais de 100 mortes confirmas. O número de desaparecidos ultrapassa 200.

Perigo

A tragédia ocorreu três anos após um outro caso de queda de barragem, próximo a cidade de Mariana.

Destacando o perigo deste tipo de acidente, a Unece cita declarações do ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil, Gustavo Canuto, dizendo que o país tem cerca de 4 mil barragens classificadas como tendo “potencial de perigo alto” ou de estarem em alto risco.

Para a Comissão Econômica, estes acidentes trágicos poderiam ser evitados através de medidas de segurança efetivas e do uso dos padrões de segurança publicados pela Unece.

Diretrizes

As Diretrizes de Segurança e Boas Práticas para Instalações de Gerenciamento de Rejeitos, TMFs, foram desenvolvidas para a Convenção sobre os Acidentes Industriais e Convenção da Água da comissão. Elas recomendam medidas práticas para limitar acidentes e a gravidade das consequências. 

O objetivo das diretrizes é inspirar países a fortalecer a segurança industrial, lidar com seus problemas e prevenir a poluição de água acidental. As Diretrizes de Segurança da Unece estão disponíveis para o uso de todos os países. 

Em dezembro de 2018 os Estados-membros adotaram a estratégia de longo termo da Convenção sobre os Acidentes Industriais para até 2030. Além de países europeus, a Comissão inclui Estados Unidos, Canadá, Israel e nações da Ásia Central.

A meta é estabelecer uma visão para aumentar de forma significativa a segurança industrial e reduzir o risco de desastres tecnológicos, garantindo a sua plena execução, e ser exemplo para prevenir e se antecipar a acidentes dentro e fora da Europa.