Em semana mundial, ONU destaca importância de harmonia entre religiões

ONU pediu aos líderes religiosos que impulsionem suas redes e capacidades de comunicação.
Foto: ONU/Rick Bajornas
ONU pediu aos líderes religiosos que impulsionem suas redes e capacidades de comunicação.

Em semana mundial, ONU destaca importância de harmonia entre religiões

Assuntos da ONU

Começa esta sexta-feira a Semana Mundial de Harmonia Ecumênica; Nações Unidas defendem que “necessidade de orientação espiritual nunca foi maior”; iniciativa é marcada desde 2010.

A Semana Mundial de Harmonia Ecumênica de 2019, que começa esta sexta-feira, tem o tema “desenvolvimento sustentável através da harmonia inter-religiosa".

A iniciativa é sempre marcada na primeira semana de fevereiro e foi proclamada pela Assembleia Geral em 2010.

Secretário-geral discursa na Sinagoga Park East, em Nova Iorque.
Secretário-geral discursa na Sinagoga Park East, em Nova Iorque. , by Foto ONU/Rick Bajornas

Necessidade

Em nota, as Nações Unidas lembram que “no centro de todos os sistemas de fé e tradições, está o reconhecimento de que estamos todos juntos e que é preciso amar e apoiar uns aos outros para viver em harmonia e paz em um mundo ambientalmente sustentável.”

A organização defende que o mundo “continua a ser assolado por conflitos e intolerância, com o aumento do número de refugiados e deslocados internos em um mundo hostil.”

Para a ONU, também se está “testemunhando mensagens de ódio espalhando discórdia entre as pessoas” e, por isso, “a necessidade de orientação espiritual nunca foi maior.”

De acordo com a organização “é imperativo dobrar esforços para espalhar uma mensagem de boa vizinhança, baseada numa humanidade comum, uma mensagem compartilhada por todas as tradições de fé.”

Objetivo

Na resolução que estabelece esta semana, a Assembleia Geral afirma que “a compreensão mútua e o diálogo inter-religioso constituem dimensões importantes de uma cultura de paz.”

Para os Estados-membros, esta semana é “uma forma de promover a harmonia entre todas as pessoas, independentemente da sua fé.”

A instituição também incentiva “todos os Estados a espalhar a mensagem de harmonia inter-religiosa e boa vontade nas igrejas, mesquitas, sinagogas, templos e outros lugares de culto do mundo, de forma voluntária e de acordo com suas próprias tradições ou convicções religiosas.”