Ataque mortal corta acesso de ajuda a mais de 76 mil no nordeste da Nigéria
BR

18 janeiro 2019

Ainda não foi confirmado número de vítimas da ação dos homens armados à cidade de Rann; pelo menos 14 funcionários humanitários foram resgatados após o ataque que ocorreu durante toda a noite de segunda-feira.

Um ataque de um grupo armado à cidade nigeriana de Rann tornou inacessível a entrega de assistência humanitária por agências internacionais, tanto por vias rodoviárias como aéreas. Cerca de 76 mil deslocados internos vivem na área do leste do estado de Borno.

Ainda não há confirmação oficial do número de mortos devido ao ato que ocorreu durante a toda a noite de segunda-feira.

Deslocados 

Em nota, o coordenador humanitário das Nações Unidas na Nigéria, Edward Kallon, expressou grande preocupação com a interrupção da entrega de ajuda a dezenas de milhares de deslocados internos em Rann.

O ataque à base militar iniciou quando começou a escurecer e continuou até o dia seguinte. Durante a ação foram saqueadas e destruídas infraestruturas que incluem um centro médico, armazéns e locais que acomodam trabalhadores humanitários.

O ato provocou a fuga de milhares de pessoas para o país vizinho Camarões e pelo menos 14 funcionários humanitários conseguiram se esconder. Eles foram retirados no dia seguinte por helicóptero.

Cidade isolada

Para o chefe humanitário da ONU na Nigéria, os ataques em Rann são cada vez mais frequentes e o impacto deles sobre os civis que se refugiam nesta cidade isolada é arrasador. Essas ações afetam gravemente a capacidade de entrega de ajuda essencial aos necessitados.

Kallon disse que o ataque aumentou o medo de uma população já vulnerável e visou recursos humanitários. O apelo ao governo da Nigéria é que proteja os civis, incluindo os trabalhadores humanitários.

Mais de 43 mil pessoas fugiram de confrontos em Kukawa e Monguno, áreas controladas pelo governo no norte do estado de Borno.

A capital estadual Maiduguri acolhe mais de 32 mil pessoas que vivem em acampamentos de deslocados já lotados. A situação faz com que centenas de pessoas tenham que dormir ao ar livre.

Mais de 7 milhões pessoas estão necessitadas devido ao conflito armado no nordeste da Nigéria que entra no seu décimo ano.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU preocupada com violência na Nigéria que deslocou dezenas de milhares de pessoas

Mais de 30 mil deslocados internos chegaram a Maiduguri e muitos outros estão em Monguno; cerca de 260 trabalhadores humanitários foram retirados, afetando a entrega de assistência humanitária a centenas de milhares de pessoas.

Guterres e ataques na Nigéria: “aqueles que violam leis intencionais devem ser responsabilizados”

Dezenas de soldados teriam morrido em ataque de milícias islamitas em base militar; no fim de semana, presidente nigeriano reagiu dizendo estar profundamente chocado com o ato ocorrido seis dias antes no estado de Borno.