ONU avalia presença da organização e de tropas no Haiti

17 janeiro 2019

Secretário-geral adjunto para as Operações de Paz e outros representantes da ONU estão no país; delegação vai reunir com autoridades e instituições nacionais; Conselho de Segurança tomará decisão até 15 de abril.

O secretário-geral adjunto para as Operações de Manutenção de Paz, Jean-Pierre Lacroix, chegou esta quinta-feira ao Haiti.

O objetivo da visita é avaliar as condições de transição da presença das Nações Unidas naquele país sem recorrer a uma operação de manutenção da paz, tal como foi decidido pelo Conselho de Segurança.

Lacroix é acompanhado pelo secretário-geral adjunto para a Europa, Ásia Central e Américas, Miroslav Jenca, bem como pelos secretários-gerais adjuntos do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, e da ONU Mulheres.

A missão conta ainda com a participação de funcionários de todo o sistema das Nações Unidas, incluindo do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha.

Avaliação

Jean-Pierre Lacroix vai reunir com autoridades e instituições do Haiti, bem como representantes da ONU no país.Foto ONU: Eskinder Debebe

A delegação de alto nível vai reunir com autoridades e instituições nacionais, agentes da sociedade civil, bem como representantes da ONU no país e funcionários da Missão das Nações Unidas para o Apoio à Justiça no Haiti, Unminjusth.

A missão fornecerá ao secretário-geral da ONU uma avaliação da situação no terreno e recomendações sobre o caminho a seguir.

Depois desta avaliação estar concluída, o Conselho de Segurança determinará, até 15 de abril, a configuração mais apropriada da presença de tropas das Nações Unidas, depois do encerramento da Unminjusth.

Missão

O mandato da Missão das Nações Unidas para o Apoio à Justiça no Haiti) foi estabelecido pela Resolução 2350 do Conselho de Segurança, adotada a 13 de abril de 2017.

A missão é composta por sete unidades policiais com 980 efetivos,  295 policias e 351 funcionários públicos por um período inicial de seis meses, de 16 de outubro de 2017 a 15 de abril de 2018, com um horizonte de dois anos.

Este período pretende ser de transição que acabará com o compromisso das Nações Unidas para com a manutenção da paz no Haiti.

O mandato da Missão foca-se em quatro aspetos: continuar a apoiar as autoridades nacionais no desenvolvimento e profissionalização da Polícia Nacional do Haiti; fortalecer as instituições do Estado; promover os direitos humanos e contribuir através de bons ofícios para o diálogo político.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Nove anos depois do terremoto, o Haiti está melhor preparado para desastres?

Desastre natural aconteceu a 12 de janeiro de 2010 e causou pelo menos 220 mil mortos; ONU News conversou com uma das sobreviventes, uma funcionária das Nações Unidas. 

Guterres diz que ONU está pronta para ajudar Haiti depois de terremoto

Segundo agências de notícias, desastre natural deixou pelo menos 11 pessoas mortas e mais de 100 feridas; secretário-geral ofereceu condolências ao povo e ao governo do país.