República Centro-Africana: resposta humanitária precisa de US$ 430 milhões em 2019

7 janeiro 2019

Número de pessoas que precisa de assistência aumentou em 16% para 2,9 milhões; Plano de Resposta Humanitária visa salvar vidas, fortalecer proteção e preservar dignidade humana.

A República Centro-Africana continua a viver uma complexa crise humanitária. Um em cada quatro cidadãos daquele país está deslocado internamente ou é refugiado.

O número de pessoas necessitadas de assistência e proteção aumentou de 2,5 milhões para 2,9 milhões, um crescimento de 16% comparado com o período anterior. Destes, 1,9 milhão requerem assistência imediata e urgente

A fim de satisfazer as necessidades das pessoas mais vulneráveis, o governo e a equipa humanitária do país lançaram, esta segunda-feira, o Plano de Resposta Humanitária para 2019.

Objetivos

O Plano visa ajudar 1,7 milhão de pessoas extremamente vulneráveis, solicitando US$ 430,7 milhões.Unicef/ Ashley Gilbertson

O Plano visa ajudar 1,7 milhão de pessoas extremamente vulneráveis, solicitando US$ 430,7 milhões.

Com base em três objetivos estratégicos, este plano pretende salvar vidas, fortalecer a proteção das pessoas afetadas e preservar a dignidade humana, ao mesmo tempo que permite o acesso a serviços básicos.

Este plano surge numa altura em que a deterioração da situação de segurança é evidente. Em 2018 houve um aumento nos ataques contra civis e trabalhadores humanitários. Mais de mil incidentes foram registados por mês em 2018 e o número de incidentes com trabalhadores humanitários aumentou de forma alarmante, de 337 em 2017, para 396 incidentes em 2018.

Apelo

Apesar do cenário de necessidades crescentes em todos os setores, a coordenadora humanitária da República Centro-Africana, Najat Rochdi, enfatizou a dedicação, coragem e determinação dos agentes humanitários na sua missão de dar esperança às crianças, mulheres e homens afetados.

A responsável enfatiza que, em 2019, será necessário intensificar esforços para  “evitar o pior” apelando aos doadores que “não esqueçam a República Centro-Africana” e ajudem “a mobilizar o financiamento necessário para consolidar as conquistas dos anos anteriores e apoiar a resposta humanitária.”

Em 2018, foram arrecadados US$ 254 milhões graças à generosidade dos doadores, o que possibilitou a prestação de assistência a mais de 900 mil pessoas.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Falta de fundos pode interromper transporte de ajuda na República Centro-Africana

Crise no serviço aéreo da ONU ocorre quando metade da população precisa de ajuda humanitária; mais de 2 mil trabalhadores do setor foram transportados pelos aparelhos aéreos administrados pelo Programa Mundial de Alimentação.

Crianças centro-africanas têm pouca atenção internacional, diz Unicef

Situação de carência afeta 1,5 milhão de menores; conflito que iniciou em 2013 deixa mais de 43 mil menores de cinco anos em risco de sofrer de desnutrição severa aguda.