Guterres pede ambiente livre da violência nas eleições de domingo em Bangladesh

27 dezembro 2018

Votação foi adiada por uma semana devido a demandas da oposição; secretário-geral declarou que cidadãos bengaleses devem sentir segurança e confiança no exercício do seu direito de voto.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apela a todas as partes envolvidas em Bangladesh que garantam um ambiente livre de violência, intimidação e coerção antes, durante e após as eleições gerais no país.

Em nota, o chefe da ONU pede que seja permitido um pleito pacífico, credível e inclusivo. A votação marcada para 30 de dezembro estava inicialmente agendada para domingo passado. 

Em julho de 2018, António Guterres visitou o museu que preserva o legado do primeiro presidente de Bangladesh, o xeque Mujibur Rahman, que foi assassinado em 1975. Foto: K M Asad/ONU

Oposição

Segundo agências de notícias a nova data foi estabelecida pela autoridade eleitoral na segunda-feira para atender uma parte do pedido de vários partidos da oposição que queriam mais tempo para se preparar.

Guterres disse que todos os cidadãos do Bangladesh, incluindo as minorias e as mulheres, devem sentir-se seguros e confiantes no exercício do seu direito de voto.

O chefe da ONU afirma que a sociedade civil e os observadores eleitorais devem ter total apoio para desempenhar seu papel no processo.

O secretário-geral termina a nota reiterando o compromisso das Nações Unidas de apoiar um Bangladesh pacífico e democrático.

Inscreva-se aqui para receber notícias da ONU News por email

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Em Cox’s Bazar, centenas de voluntários limpam uma das praias mais longas do mundo

Evento em Bangladesh é promovido pela Organização Internacional para Migrações, funcionários da ONU, voluntários locais e autoridades recolhem lixo; distrito se tornou centro de crise de refugiados que mais cresce no mundo.

Refugiados rohingya usam lenha equivalente a quatro campos de futebol por dia em Bangladesh

Agência da ONU lançou campanha para distribuir fogões a gás para esta comunidade no país anfitrião; programa espera ajudar pelo menos 60 mil famílias até o final do ano.