Número de migrantes que entraram na Europa pelo Mediterrâneo é o mais baixo em cinco anos

21 dezembro 2018

Dados finais deste ano devem ser divulgados em dois meses; informação provisória da OIM indica que 113 mil migrantes entraram no continente europeu até esta semana; Acnur continua reunindo informações sobre as chegadas em 2018.

Mais de 113 mil migrantes entraram na Europa em 2018 por meio das três rotas migratórias que envolvem o Mediterrâneo. O número é o mais baixo em cinco anos, segundo dados da Organização Internacional para Migrações, OIM.

De acordo com a agência das Nações Unidas, essa quantidade é menor que as entradas registradas apenas na Itália em 2017.

A OIM documentou 769 mortes na rota do Mediterrâneo Ocidental em 2018. Foto: Frontex/Francesco Malavolta

Percurso

A OIM documentou 769 mortes na rota do Mediterrâneo Ocidental em 2018. A agência destaca que o número de pessoas que perderam a vida ao longo do percurso “aumentou rapidamente nos últimos três meses”.

O caso mais recente ocorreu na quinta-feira, quando a Guarda Costeira espanhola recuperou 12 corpos durante o resgate de um barco. Uma mulher grávida estava entre as pessoas que perderam a vida e outras 12 foram dadas como desaparecidas.

A OIM espera divulgar os dados finais deste ano até fevereiro de 2019.

Detenção

Ainda esta semana a Agência das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur, revelou que seis barcos foram resgatados no Mediterrâneo Ocidental e que 25 pessoas morreram ou desapareceram. No total, foram encontrados 34 corpos nessas operações e pelo menos 12 desapareceram.  

De acordo com a agência das Nações Unidas, a maioria das pessoas salvas está agora em centros de detenção depois de terem desembarcado no Porto de Almería, na Espanha.

O número de entradas pelo país tem aumentado em relação ao ano anterior, por  razões que “ainda não estão claras”.

O Acnur continua reunindo informações sobre as chegadas à Europa pela rota marítima, ao mesmo tempo que oferece  apoio e proteção aos necessitados. As ações incluem facilitar o acesso ao processo de asilo.

Inscreva-se aqui para receber notícias da ONU News por email

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Primeiro grupo de refugiados da Síria e do Sudão do Sul chegou a Portugal

País vai receber mais de mil pessoas até outubro de 2019; programa de reinstalação é o mais ambicioso realizado em Portugal; municípios e ONG’s também participam neste programa.

560 mil pessoas entraram em países da Ocde com autorizações não humanitárias

Pesquisa analisa número de chegadas dos principais pontos de origem através de autorizações familiares, de trabalho e de estudo em oito anos; Acnur considera que esse tipo de entrada facilita acesso seguro e legal de refugiados.