COP24 aborda recomendações para lidar com problema de deslocados pelas mudanças climáticas
BR

8 dezembro 2018

Discussões antecedem evento de líderes mundiais sobre questão da migração global em Marrocos; COP24 debate formas concretas para ajudar países a lidar com deslocamentos provocados por impactos como escassez de água, inundações, tempestades e aumento do nível do mar. 
 

“Mudanças no tempo, enchentes e secas em muitos locais estão ameaçando cada vez mais a segurança e a subsistência das pessoas, levando muitas famílias a terem que considerar se devem ficar onde vivem ou mudar para algum outro local.” Esta foi a observação do especialista em vulnerabilidades do clima, Koko Warner, que coordena questões de migração na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática, Unfccc.

Secretário-geral da ONU visita Barbuda, no Caribe, em 2017, by ONU/Rick Bajornas

De acordo com a ONU, ao mesmo tempo que é um grande desafio quantificar os deslocados após alterações relacionadas ao clima, mais de 258 milhões de pessoas vivem fora do país de origem. A expectative é de que a mudança climática aumente este número na medida em que os impactos tornem algumas áreas do planeta inabitáveis para os seres humanos. 

COP24

Como exemplo, Warner citou o agricultor,  que se tire “falta de chuva por vários anos seguidos, pode perder de repente não apenas o acesso à comida, mas toda a forma de renda, e o bem-estar de toda a família pode se tornar muito precário.”

Atualmente, eventos climáticos extremos deslocam quatro vezes mais pessoas no mundo do que conflitos. 

Para tratar da questão, foram apresentadas na Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, COP24, um conjunto de recomendações para ajudar os países a lidar com o problema. 

Recomendações 

As reuniões que ocorrem na cidade de Katowice, na Polônia, durante as duas semanas da COP24, procuram definir o caminho a seguir em relação aos compromissos assumidos por todos os países para em termos das ações  climáticas adotados em Paris, em 2015. 

As diversas recomendações incluem propostas sobre planejamento de contingência, consulta e análise de dados e cooperação entre países. O documento foi preparado pelo Grupo de Trabalho sobre Deslocamento e apresentado neste sábado para aprovação pelos delegados técnicos dos Estados-membros. Na próxima semana, o material será apresentado para adoção à nível ministerial.

Pacto Global

"O objetivo é realmente ajudar os países a entender a escala do que está vindo e realmente se preparar para isso", observou Warner. Ele acrescentou que a questão é realmente encontrar maneiras de reduzir o sofrimento e garantir a segurança, a dignidade das pessoas sob o risco de deslocamento diante da mudança climática."

As discussões ocorrem antes da adoção do Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular, que acontecerá nos próximos dias 10 e 11 de dezembro, no Marrocos. Este será o primeiro acordo global liderado pela ONU para uma abordagem comum para a migração internacional. 

Planejamento

Em termos de planejamento, por exemplo, uma das recomendações inclui sugestões como financiamentos em sistemas de previsão do tempo que permitam que comunidades que enfrentam desastres naturais se preparem adequadamente. Outra recomendação foi para que haja destaque na coleta de dados e análise de riscos para que se possa mapear e entender melhor a mobilidade humana.

O documento insiste na necessidade de incluir e garantir a participação de comunidades afetadas para que estas se sintam capacitadas e bem informadas quando decisões sobre suas vidas foram tomadas.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

COP24: a Grande Muralha Verde que deve atravessar a África

Iniciativa tem ambição de construir um “muro” de árvores de oeste a leste do continente africano; objetivo é transformar a vida de milhares de pessoas que sofrem com desertificação e mudança climática nas regiões do Sahel e do Saara.

COP24: Associações esportivas se unem à luta contra a mudança climática

Iniciativa pretende usar popularidade dos esportes e paixão de fãs no combate à mudança climática; Comitê Olímpico Internacional, Fifa e Liga Mundial de Surfe estão entre signatários da nova Convenção.