Crianças centro-africanas têm pouca atenção internacional, diz Unicef

30 novembro 2018

Situação de carência afeta 1,5 milhão de menores; conflito que iniciou em 2013 deixa mais de 43 mil menores de cinco anos em risco de sofrer de desnutrição severa aguda.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, lançou um alerta sobre a situação das crianças destacando os efeitos do agravamento da crise na República Centro-Africana.

A agência apela à comunidade internacional que aumente o apoio e a atenção para defender as necessidades das pessoas em situação mais frágil, devido ao conflito que completou cinco anos.

Pacientes que chegam às enfermarias de nutrição do único hospital pediátrico do país reclamam de fome. Foto: Unicef/Ashley Gilbertson

Desnutrição

O Alerta sobre a Criança aponta que um dos principais desafios do país é ajudar 1,5 milhão de crianças necessitadas. Mais de 43 mil menores de cinco anos correm o risco de sofrer de desnutrição severa aguda.

A agência alerta que combates que acontecem em partes do país que antes estavam livres da violência agravam a emergência. A República Centro-Africana ocupa o lugar 188 no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano.

Segundo o Unicef, a pouca atenção recebida pelos centro-africanos faz pensar que quase ninguém acompanha o que se passa no país sem acesso ao mar. Duas em cada três crianças precisam de ajuda humanitária. Um quarto delas vive como deslocadas ou refugiadas.

Proteção

Pacientes que chegam às enfermarias de nutrição do único hospital pediátrico reclamam de fome. A agência da ONU chama a atenção para a necessidade de proteção de crianças dos efeitos do conflito a longo prazo.

Unicef chama a atenção para a necessidade de proteção de crianças dos efeitos do conflito a longo prazo. Foto: Unicef/Gilbertson V

O país tem menores associados a grupos armados, que pobres e traumatizados, viram a situação como sua última saída. Eles precisam de uma nova oportunidade para ter uma vida segura e decente.

Várias meninas sofreram abusos por essas milícias e precisam urgentemente de cuidados e apoio.

O Alerta sobre a Criança destaca que os menores de idade centro-africanos precisam sobretudo de segurança. Lugares de proteção e apoio como escolas, hospitais e centros de culto são alvos crescentes de ataques de grupos armados cuja ação ocorre em 80% do país.

O Unicef destaca ainda que fazer chegar ajuda às crianças é perigoso e às vezes fatal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU: 9,6 milhões de pessoas sofrem de insegurança alimentar na África Austral

Maláui registrou teve aumento de 1,1 milhão de pessoas nessa situação em época de escassez; Ocha espera que situação piore com 80% de probabilidade do fenómeno climático El Niño este dezembro.

Sahel: subnutrição aguda em crianças atinge maior nível dos últimos 10 anos

65% do orçamento do Unicef na região ainda está em falta;  subnutrição crónica atinge níveis de emergência devido a degradação das terras, secas periódicas, pobreza e crescimento da população.