União Europeia promove Direitos Humanos em feira internacional no Brasil

13 novembro 2018

Evento reuniu mais de 80 países e cerca de 50 mil pessoas em Brasília; entre os participantes estiveram a procuradora-geral da República do Brasil e o coordenador residente do sistema das Nações Unidas.

A União Europeia, UE, promoveu na Feira Internacional das Embaixadas, em Brasília, os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O evento, que reuniu mais de 80 países e cerca de 50 mil pessoas na capital brasileira, aconteceu no sábado.

Exposição

Da esquerda para a direita, coordenador residente do sistema das Nações Unidas, Niky Fabiancic, encarregada de negócios da UE no país, Claudia Gintersdorfer, e a procuradora-geral da República do Brasil, Raquel Dodge, by Delegação da União Europeia para o Brasil.

Em nota, a organização explica que o evento beneficia obras de caridade no Distrito Federal com os fundos arrecadados pelas missões com vendas de produtos.

A delegação da UE teve uma exposição temática para promover e proteger os direitos humanos e a democracia. O objetivo era marcar o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que será celebrado no dia 10 de dezembro. 

Participaram no evento a procuradora-geral da República do Brasil, Raquel Dodge, a encarregada de negócios da UE no país, Claudia Gintersdorfer, e o coordenador residente do sistema das Nações Unidas, Niky Fabiancic, entre outros convidados.

Durante a cerimônia, foi apresentado um painel com ilustrações sobre vários direitos humanos.

Discursos

No seu discurso, a representante da UE destacou o compromisso de defesa da democracia e promoção dos direitos humanos através de vários instrumentos.

O coordenador residente da ONU explicou que "mesmo num momento de tantos antagonismos, a Declaração Universal foi capaz de criar consensus, quebrar barreiras e construir pontes.”

Niky Fabiancic lembrou que o documento serviu de inspiração para muitas constituições em todo o mundo, incluindo a do Brasil, onde estes direitos ficaram consagrados no quinto artigo da Constituição de 1988.

Já a procuradora-geral da República disse que estes direitos “são os objetivos fundamentais da República e que é preciso não apenas admirar a Constituição, mas cumprir ela.”

A delegação europeia também promoveu uma reflexão sobre estes direitos de uma forma didática. Mais de 50 crianças explicaram, através de desenhos, o que a Declaração significa para elas.

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe de Direitos Humanos da ONU pede ação imediata para acabar com sofrimento no Iêmen

Michelle Bachelet disse que “as violações cometidas por uma das partes no conflito não dão carta branca aos outros para que contra-ataquem a todo custo”; crise humanitária do Iêmen é considerada pela ONU a pior do mundo. 

Dia mundial destaca ciência como direito humano

Unesco pretende destacar papel das ciências no mundo; tema deste ano do Dia Mundial da Ciência para a Paz e o Desenvolvimento lembra o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.