Conselheiro da polícia da ONU apela a maior contribuição de países lusófonos

6 novembro 2018

Luís Carrilho explica trabalho da força policial; representante fala de esforços para aumentar presença de mulheres nos contingentes; responsáveis e comandantes da polícia da ONU estão reunidos esta semana em Nova Iorque. 

A sede da ONU acolhe esta semana a reunião anual dos responsáveis e comandantes da Polícia da Nações Unidas.

A ONU News conversou com o conselheiro da Polícia da ONU, Luís Carrilho, que explicou a importância do trabalho dos quase 11 mil membros da força, oriundos de 88 países.

A Polícia das Nações Unidas protege a população civil, apoia a manutenção da ordem pública e a capacitação das forças segurança nacionais, by Monusco / Gweny Angel Nouko

Missão

“A polícia é uma das faces mais visíveis do Estado numa sociedade moderna, numa sociedade democrática, e  numa missão de manutenção de paz onde trabalhamos em conjunto com as forças de segurança nacionais, não só para a capacitação mas também para o apoio operacional. Claro está, de acordo com o mandato que o Conselho de Segurança nos dá para esse efeito.”

Luís Carrilho explica que a Polícia das Nações Unidas protege a população civil,  apoia a manutenção da ordem pública e a capacitação das forças de segurança nacionais, muitas vezes  numa perspetiva de transição.

Mais mulheres

Uma das atuais prioridades passa por reforçar a presença de mulheres das forças policias da ONU.  O conselheiro afirmou que têm sido feitos esforços para que tal aconteça e deu o exemplo de uma unidade da polícia do Ruanda, composta em igual por homens e mulheres, que está no Sudão do Sul.

Atualmente as mulheres correspondem a cerca de 11% dos agentes policiais que servem em 15 operações de paz.

Uma das atuais prioridades é reforçar a presença de mulheres das forças policias da ONU, by ONU/Martine Perret

Lusófonos

Neste contexto, Carrilho pediu aos países que contribuem com polícias que aumentem o número de mulheres nos seus contigentes e deixou ainda um apelo às nações lusófonas.

“A Polícia das Nações Unidas faz também um apelo a todos os países falantes de português para contribuirem com mais polícias. Portugal participa, Brasil participa, tivemos participações no passado já de outros países falantes de português mas penso que é um esforço dentro da ação para a manutenção de paz, que todos os países podem contribuir. Os países de África, Timor-Leste também já participaram e esperemos que no futuro voltem a participar.”

A missão da polícia da ONU é aumentar a paz e a segurança internacional, apoiando os Estados-membros em situações de conflito, pós-conflito e outras crises, a fim de formar uma Polícia eficaz e responsável, que sirva e proteja as populações.

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Portugal pode aumentar presença de soldados de paz na República Centro-Africana

Vice-chefe militar da Minusca espera aprovação de mais militares durante o mês de novembro; oficial disse que atuação portuguesa é um exemplo do que se pretende de países contribuintes com forças no país.

Uma angolana participa nas primeiras eleições nacionais e multi-partidárias do país, a 29 de setembro de 1992. Foto: ONU/Milton Grant

Participação de mulheres aumenta durabilidade de acordos de paz

Estudo apresentado em Nova Iorque foi apoiado pela ONU Mulheres; relatório recolheu informação de mais de 40 países; documento foi apresentado esta semana em Nova Iorque.