Angelina Jolie apela a cessar fogo imediato no Iémen

4 novembro 2018

Enviada especial da Agência da ONU para Refugiados está de visita à Coreia do Sul, onde centenas de iemenitas estão refugiados; atriz considera que a comunidade internacional “tem sido lenta” no  apoio ao Iémen.

A enviada especial da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, Angelina Jolie, apelou ao estabelecimento urgente de um cessar-fogo no Iémen e a uma solução duradoura para o conflito.

Ela saudou as recentes negociações sobre a suspensão das hostilidades e pediu ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que encontre uma solução negociada para o conflito e defenda as leis internacionais de proteção de civis.

Ação

O Iémen vive a pior crise humanitária do mundo., by © Unicef

Angelina Jolie considera que “a comunidade internacional, tem sido vergonhosamente lenta em agir para acabar com a crise no Iémen.”

A representante especial lembra que a situação “se tem vindo a deteriorar a tal ponto que o Iémen está agora à beira da fome provocada pelo homem e enfrentando a pior epidemia de cólera no mundo em décadas.”

Uma realidade que faz com que “muitas pessoas não tenham escolha a não ser fugir se quiserem ter alguma chance de sobrevivência.”

Jolie considera que “a única maneira de permitir que os refugiados voltem para casa é acabar com os próprios conflitos.” Por isso, a atriz espera que “haja maior compreensão das realidades que levam as pessoas a fugir.”

Direito internacional

A representante defende que “sem uma resposta global baseada no direito internacional e na responsabilidade coletiva” se  corre um risco de instabilidade e insegurança muito maior a longo prazo, o que teria um impacto negativo em todos os países.”

Ela apelou para uma maior compreensão das leis de proteção aos refugiados e para que todos os países desempenhem o seu papel para aliviar o sofrimento humano no Iémen.

Coreia do Sul

Jolie está atualmente de visita à Coreia do Sul, onde várias centenas de iemenitas estão sendo hospedados após a fuga do conflito.

A atriz reuniu com o ministro da Justiça, Park Sang-ki,  responsável pelas políticas domésticas de refugiados.  Jolie agradeceu os esforços da Coreia do Sul para ajudar cerca de 500 iemenitas que chegaram à ilha de Jeju em maio passado.

Ela reconheceu a importância dos esforços para proteger estes refugiados até ao momento em que eles possam retornar em segurança ao seu país de origem.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud