ONU quer investigação “rápida, completa e transparente” de morte do jornalista Jamal Khashoggi

19 outubro 2018

Secretário-geral apela a total responsabilização dos autores do ato; investigação inicial indica que sua morte foi depois de uma luta no consulado saudita em Istambul.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse estar “profundamente preocupado” com a confirmação da morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, em Nova Iorque, o chefe da ONU expressa condolências à família e aos amigos do jornalista, que foi visto pela última vez no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro. Na ocasião, ele ia recolher documentos que lhe permitiriam casar.

Consulado

Guterres disse que é preciso uma “investigação rápida, completa e transparente sobre as circunstâncias da morte de Khashoggi, e a total responsabilização dos autores” desse ato.

Agências de notícias informaram que uma investigação inicial aponta que a morte de Jamal Khashoggi teria ocorrido após uma luta no consulado saudita na cidade turca.

A diretora geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, também "condenou vigorosamente" a morte do jornalista, que foi oficialmente confirmada pelas autoridades na Arábia Saudita na sexta-feira.

Para Audrey Azoulay, "o assassinato de Jamal Khashoggi lembra da necessidade de lutar pela liberdade de imprensa, essencial para a democracia". 

A chefe da Unesco disse que "a responsabilidade por esses crimes não é negociável" e também pediu às autoridades competentes que "conduzam uma investigação completa sobre este crime e levem seus autores à justiça".

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud