Para Guterres, mundo enfrenta emergência nos oceanos

5 outubro 2018

Relatório do secretário-geral sobre os oceanos e o direito do mar destaca progressos e desafios; chefe da ONU afirma que futuro coletivo e segurança da humanidade "estão em jogo".

O secretário-geral da ONU, António Guterres, acredita que "a situação dos oceanos nunca foi tão perigosa quanto agora".

O aviso é feito no seu último relatório sobre os oceanos e o direito do mar, tornado publico esta quinta-feira. A pesquisa analisa o período entre 1 de setembro de 2017 e 31 de agosto de 2018.

Ameaças

No documento, Guterres aponta para ameaças como poluição, aumento da sobrepesca, acidificação, recordes de temperatura, ruído submarino e descida do nível do gelo marinho no Ártico e na Antártida.

Segundo dados da ONU, 80% da poluição dos oceanos saem da superfície terrestre. , by Saeed Rashid

O relatorio afirma que "agora, mais do que nunca, a comunidade internacional deve dar prioridade ao tratamento dos problemas oceânicos de maneira integrada, interdisciplinar e intersetorial".

Para Guterres, o mundo enfrenta uma "emergência global sobre os oceanos". O chefe da ONU afirma que as ameaças ao meio ambiente devem ser "levadas a sério" porque o futuro coletivo e a segurança da humanidade "estão em jogo".

Se medidas concretas e urgentes não forem tomadas, os Estados-membros enfrentarão dificuldades para alcançar as metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 14, que inclui gestão e proteção sustentável dos ecossistemas marinhos e costeiros e fim da pesca excessiva e pesca ilegal.

Avanços

Embora não seja suficiente, o relatório aponta alguns progressos na defesa dos oceanos.

O secretário-geral destaca uma melhoria na segurança marítima, na ciência e tecnologia marinhas, no transporte internacional e na cooperação e coordenação entre os Estados.

Também menciona a adoção da resolução 72/73 da Assembleia Geral, que pretende prevenir, reduzir e controlar a contaminação dos ecossistemas marinhos e resultou em várias medidas em todo o mundo, muitas em relação ao plástico.

Para Guterres, é "evidente" que muito precisa ser feito para tornar a humanidade consciente da importância dos oceanos e dos efeitos que a sua ação tem sobre eles.  

O relatório afirma que “esses efeitos ameaçam a segurança da vida humana, a segurança alimentar e os meios de subsistência e destacam a necessidade urgente de se concentrar mais na dimensão humana dos oceanos".

Lembre aqui a entrevista da ONU News com a ministra do Mar de Portugal, Ana Paula Vitorino:

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud