OMS apoia vacinação oral contra a cólera no Zimbabué

3 outubro 2018

Campanha vai imunizar 1,4 milhão de pessoas; doença alastra-se nos subúrbios da capital, Harare; ação conta com a colaboração de 600 profissionais de saúde.

O Governo do Zimbabué, com o apoio da Organização Mundial de Saúde, OMS, e outros parceiros, lançou esta quarta-feira uma campanha de vacinação oral contra a cólera.

O objetivo é proteger 1,4 milhão de pessoas com alto risco de contrair a doença na capital do país, Harare.

Autoridades

A campanha de imunização faz parte dos esforços para controlar o surto de cólera que foi declarado pelas autoridades de saúde a 6 de setembro.

A diretora regional da OMS para África, Matshidiso Moeti, adianta que a campanha de vacinação representa “uma janela de oportunidade para travar a cólera com esta vacina oral o que, juntamente com outros esforços, ajudará a manter o surto atual sob controle e poderá impedir que se espalhe ainda mais pelo país e se torne mais difícil de controlar."

Segundo a OMS, as vacinas serão financiadas pela Gavi, a Aliança de Vacinas, que suportará ainda os custos operacionais da campanha.

Sensibilização

As entidades envolvidas também reforçam a vigilância, garantem o fornecimento de água limpa, promovem a higiene e a criam centros de tratamento especializados.

Mais de 600 profissionais de saúde receberam formação para realizar a campanha, que decorrerá em locais fixos e móveis, incluindo instalações de saúde, escolas e centros comerciais.

O Zimbabué tem sofrido frequentes surtos de cólera. O maior ocorreu de agosto de 2008 a maio de 2009, vitimando mais de 4 mil pessoas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud