ONU alerta para “tempestade perfeita” de desastre humanitário na Síria

Criança em escola de Idlib, na Síria, vítima de ataques.
UNICEF
Criança em escola de Idlib, na Síria, vítima de ataques.

ONU alerta para “tempestade perfeita” de desastre humanitário na Síria

Paz e segurança

Aviso é do enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, sobre cidade de Idlib; Conselho de Segurança debateu situação no país do Oriente Médio esta sexta-feira; Unicef disse que confrontos colocam 1 milhão de crianças em risco.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, disse ao Conselho de Segurança esta sexta-feira que se está formando uma “tempestade perfeita” para um desastre humanitário na cidade síria de Idlib.

Vivem nesta cidade e nos seus arredores cerca de 3 milhões de pessoas.

Confrontos

O enviado especial destacou notícias sobre um aumento da presença militar das forças do governo e dos seus aliados. Segundo ele, “existe o grande perigo de que qualquer batalha por Idlib será horrível e sangrenta” e com “consequências humanitárias arrasadoras.”

Enviado espacial da ONU para a Síria, Staffand de Mistura.
Enviado espacial da ONU para a Síria, Staffand de Mistura. , by ONU/Violaine Martin

De Mistura afirmou que “os esforços para combater o terrorismo não se podem sobrepor à lei internacional” e pediu que todas as partes encontrem uma forma para evitar uma tragédia.

Ajuda

O diretor do Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários em Nova Iorque, John Ging, também discurso no encontro.

O representante anunciou um plano das agências da ONU para ajudar cerca de 900 mil pessoas. Segundo ele, dos 3 milhões de pessoas que vivem na região, 2,1 milhões precisam de assistência humanitária. O número inclui 1,4 milhão de deslocados internos.

Apesar desta preparação, Ging afirmou que “o pior cenário, com milhões em fuga, ultrapassaria toda a capacidade de responder, independentemente de planos e financiamento.” Ele acredita que esta crise “tem o potencial de criar uma emergência humanitária de uma escala a que ainda não se assistiu” na Síria.

PMA

Esta sexta-feira, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, afirmou que ajuda de emergência para centenas de milhares de pessoas está “pronta para distribuição”.

O porta-voz do PMA, Herve Verhoosel, explicou aos jornalistas, em Genebra, que a agência tem comida suficiente para 850 mil pessoas durante uma semana, mas que a "maior prioridade" deve ser acabar com o conflito.

Unicef

O diretor do Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários em Nova Iorque, John Ging, também discurso no encontro.
O diretor do Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários em Nova Iorque, John Ging, também discurso no encontro., by ONU/Loey Felipe

Também esta sexta-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, alertou que um aumento dos confrontos pode colocar 1 milhão de crianças em risco.

A diretora-executiva do Unicef, Henrietta Fore, disse que "milhares de crianças em Idlib foram forçadas a deixar suas casas por várias vezes e vivem em abrigos improvisados, ​​superlotados e com poucos alimentos, água e remédios."

Na Síria, o ano escolar começou em 1 de setembro, mas muitas escolas ainda não funcionam. Quase 7 mil salas de aula precisam de reabilitação e faltam mais de 2,3 mil professores.

Cerca de 4 milhões de crianças em todo o país deviam ter voltado para a escola, mas 2 milhões não conseguiram.