Guterres diz que é preciso pensamento inovador para mediar conflitos

29 agosto 2018

Secretário-geral alertou que guerras se tornam cada vez mais complexas; chefe da ONU sugere união de esforços, coordenação e inclusão de mulheres e jovens; tema foi debate no Conselho de Segurança.

O Conselho de Segurança debateu esta quarta-feira o papel da mediação na prevenção de conflitos. Em seu discurso, o secretário-geral António Guterres defendeu que ter um pensamento inovador sobre a mediação é uma necessidade.

O chefe da ONU pediu um compromisso do órgão usando a mediação eficaz como uma ferramenta para salvar e melhorar a vida de milhões de pessoas.

Tendências

Guterres disse que está convencido que é possível enfrentar e reverter as tendências dos conflitos atuais.

Para o chefe da ONU, as guerras se tornam cada vez mais complexas e, da mesma forma, a sua mediação. Ele falou de conflitos internos que muitas vezes se tornam regionais e transnacionais.

Grupos Armados

O secretário-geral disse ainda que em vários conflitos se misturam grupos armados fragmentados e interesses políticos que são financiados por atividades criminosas.

O representante declarou que os conflitos duram anos e décadas, impedindo o desenvolvimento e atrasando as oportunidades. O secretário-geral declarou que os acordos de paz estão mais difíceis e duram pouco,  aliados à baixa vontade política e à falta de atenção internacional.

Conselho de Segurança. by ONU/Loey Felipe

Ele disse que é importante um envolvimento discreto em conflitos, e deu como  exemplo os resultados das conversas contínuas com o grupo talebã e contactos com a Coreia do Norte.

União

O secretário-geral disse ainda  que a mediação para acabar com os conflitos atuais requer união de esforços, coordenação e inovação buscando formas mais inclusivas para abordar o fim de conflitos.

Guterres recomenda mais atenção a temas como violência sexual associada ao conflito e o impacto de decisões sobre a reconstrução pós-guerra, além de se envolverem mais jovens nesse processo.

Para o chefe da ONU, também é preciso investir em oportunidades de mediação e reconciliação dadas pela tecnologia da informação envolvendo as redes sociais. No evento, participou o Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, como membro do Conselho Consultivo de Alto Nível do Secretário-Geral sobre Mediação.