Unicef lança plataforma online que pode ser vista sem gastar dados em Angola

24 agosto 2018

Agência da ONU assinou parceria com operadora angolana de rede de telemóvel para permitir acesso sem custos ao site; Internet que Kuia informa sobre saúde, higiene, relacionamentos e direitos humanos.

A Internet que Kuia é uma nova plataforma do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, que pode ser consultada de forma gratuita em Angola.

A agência da ONU assinou um acordo com uma das operadoras angolanas de rede de telemóvel, que permite aos seus clientes visitar o site feito especialmente para ser acedido em telefones móveis e tablets, mesmo sem ter saldo na conta.

Informação

O conteúdo da plataforma inclui comportamentos e direitos e é atualizado de forma regular. A gestora de Comunicação para o Desenvolvimento do Unicef em Angola, Maria Estela Caparelli, explicou à ONU News as informações disponíveis.

 “As pessoas vão ter acesso a informações super relevantes, como prevenir cólera e malária, como cuidar do seu recém-nascido, a questão da vacinação, qual o calendário vacinal e também as meninas podem esclarecer dúvidas sobre a questão da saúde sexual reprodutiva e muito mais. ”

Em nota, o Unicef diz que “o acesso à informação pode mudar a vida das pessoas. ” Segundo a agência, “este acesso é um importante motor para ajudar a desenvolver um país e a melhorar os indicadores sociais, através de cidadãos bem informados e participativos. ”

O Unicef acredita que uma mãe informada pode proteger o seu bebé de várias doenças e um líder comunitário consegue melhorar a vida da sua comunidade ao provocar mudanças de comportamento. Um adolescente também pode ajudar os amigos a evitar o vírus da Sida e a acabar com mitos relacionados à sexualidade, enquanto as crianças podem aprender sobre os seus direitos.

Iniciativa

Internet que Kuia é o nome para Angola da iniciativa Internet of Good Things, ou Internet das Coisas Boas, lançada em 2015 pelo Unicef. O projeto leva informação à população de 63 países, em parceria com operadores de telecomunicações.

No ano passado, as páginas ligadas à plataforma tiveram quase 11 milhões de utilizadores.