Angola pede ajuda do FMI em programa econômico

23 agosto 2018

Especialistas visitaram país lusófono africano nas primeiras duas semanas de agosto; negociações devem começar assim que possível. 

Angola pediu ao Fundo Monetário Internacional, FMI, para começar a discutir um programa econômico para o país, informou o vice-diretor executivo do FMI, Tao Zhang.  

Em nota, Zhang explica que a solicitação foi recebida após uma visita de especialistas do FMI a Angola, que aconteceu entre 1 e 14 de agosto.

Reformas

O vice-diretor executivo disse que, no último ano, “o governo do presidente João Lourenço deu passos importantes para melhorar a governação e restabelecer a estabilidade macroeconômica.”

Lourenço tomou posse como presidente de Angola, em setembro passado, sucedendo a José Eduardo dos Santos.

Zhang afirma que “o FMI está pronto para ajudar as autoridades a resolver os desafios econômico de Angola, apoiando políticas e reformas econômicas com base no Programa de Estabilização Macroeconômica e Plano de Desenvolvimento Nacional 2018–2022.”

Ainda segundo a nota, as discussões sobre o novo programa econômico devem começar assim que possível.

Apoio

A iniciativa deverá ser apoiada pelo Programa de Financiamento Ampliado, EFF, na sigla em inglês, e o Instrumento de Coordenação Política, ICP.

Segundo o FMI, o EFF foi criado para ajudar países com dificuldades em cumprir os seus pagamentos devido a razões estruturais.

O objetivo é criar programas que corrijam estes desequilíbrios a longo prazo.

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Situação dos refugiados da RD Congo em Angola

A ONU News entrevistou a encarregada de Relações Externas da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, em Angola.

Margarida Loureiro explicou como vivem mais de 35 mil civis da República Democrática do Congo que agora estão na província angolana de Lunda Norte.