ONU: “Annan colocou as pessoas no centro do trabalho das Nações Unidas”

22 agosto 2018

Atual secretário-geral, António Guterres, disse que espírito pacificador de Kofi Annan é agora mais necessário do que nunca; ONU abre livro de condolências para homenagear o sétimo secretário-geral, que morreu no sábado, na Suíça.

As Nações Unidas recordaram o seu sétimo secretário-geral, Kofi Annan, em cerimônia, nesta quarta-feira, em sua sede em Nova Iorque. Um livro de condolências foi aberto para funcionários e visitantes da organização.

No evento, foi observado um minuto de silêncio e o atual secretário-geral, António Guterres, depositou uma coroa de flores na entrada do prédio em Nova Iorque. Ele foi acompanhado pela embaixadora Martha Pobee, de Gana, país onde Annan nasceu há 80 anos.

Pessoas

Guterres disse que as maiores qualidades do ex-líder da organização eram a  humanidade e a solidariedade com os necessitados. Para ele, Annan “colocou as pessoas no centro do trabalho das Nações Unidas e foi capaz de transformar a compaixão em ação em todo o sistema da ONU”.

Sobre o papel de Annan em prol do desenvolvimento, Guterres disse que ainda se colhem os resultados da Cúpula do Milênio, quando Annan reuniu o mundo sobre o lançamento dos primeiros objetivos globais de combate à pobreza e à mortalidade infantil.

HIV

Guterres elogiou a resposta dada por Kofi Annan à epidemia de HIV/Aids ao reunir governos, organizações não-governamentais e o setor de saúde numa ação que “salvou muitas vidas”.

Em seu discurso, o chefe da ONU afirmou que Annan enfrentou graves erros cometidos pelas Nações Unidas, na década de 1990, em resposta ao genocídio de Ruanda e aos assassinatos de Srebrenica, nos Bálcãs.

Secretário-geral depositou uma coroa de flores na entrada do prédio da ONU, em Nova Iorque.
Foto: ONU/Manuel Elias.
Secretário-geral depositou uma coroa de flores na entrada do prédio da ONU, em Nova Iorque.

Ele citou relatórios que foram pedidos por Annan para garantir que esses erros jamais fossem repetidos, o que “colocou a comunidade internacional num novo rumo em sua resposta às atrocidades em massa”.

Para o atual secretário-geral, Kofi Annan foi “uma voz verdadeira para os sem voz”. Ele destacou que seu predecessor não se esquivou de questões mais desafiadoras e atuou para superar as diferenças e proteger os mais vulneráveis de forma criativa.

Sabedoria

Guterres evidenciou ainda que Annan era firme, sem antagonizar os outros, e que “sua humildade, bom humor, cortesia e charme” estavam aliados à enorme sabedoria e força.

O secretário-geral citou palavras de Annan na cerimônia em que recebeu o Prêmio Nobel da Paz, afirmando o o que deve ser feito para melhor honrar seu legado: “garantir uma melhoria real e duradoura na vida de homens e mulheres é a medida de tudo o que fazemos nas Nações Unidas”.

Para o chefe da ONU, “nestes tempos de crescentes divisões políticas e conflitos intratáveis o espírito pacificador de Kofi Annan é mais necessário do que nunca”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud