ONU destaca proteção de trabalhadores humanitários 15 anos após ataque de Bagdá
BR

17 agosto 2018

Carro-bomba que explodiu no Hotel Canal, onde ficava a sede da Missão da ONU no Iraque, matou 22 pessoas incluindo o brasileiro Sergio Vieira de Mello, chefe da Missão; Dia Mundial Humanitário é marcado em 19 de agosto para homenagear trabalhadores da área.

As Nações Unidas marcam neste domingo, 19 de agosto, os 15 anos do ataque terrorista à sede da ONU em Bagdá. Esta também é a data do Dia Mundial Humanitário, desde que foi declarado pela Assembleia Geral em 2008.

Naquele dia, a organização perdeu 22 funcionários incluindo o chefe da Missão da ONU no Iraque, o brasileiro Sergio Vieira de Mello. 

Modelos

Nesta entrevista a jornalistas, logo após chegar ao país árabe, ele explicava o como pretendia que a ONU cooperasse com os iraquianos.  

Sergio dizia que o que a ONU havia aprendido era que processos como aquele do Iraque tinham que ser dirigidos pelas próprias pessoas do país e que a ONU jamais deveria chegar com seus próprios modelos, mas sim servir aos iraquianos.

Cerca de 150 pessoas ficaram feridas na explosão do carro-bomba contra o Hotel Canal, onde estava instalada a sede da organização.

Conflitos

Em mensagem sobre o aniversário de 15 anos do ataque, o secretário-geral António Guterres, disse que a data é uma oportunidade de expressar solidariedade com milhões de pessoas que estão no meio de conflitos, guerras e desastres naturais.

 

Guterres disse que no dia de hoje, a ONU presta tributo aos trabalhadores humanitários que arriscam suas vidas para servir àqueles que precisam.

Apenas no ano passado, houve um aumento de 38% no número de civis mortos ou feridos por armas explosivas. No total foram quase 43 mil pessoas.

O subsecretário-geral para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, disse ser impensável que civis e os trabalhadores humanitários, que estão tentando ajudar, sejam mortos ou feridos e que isso fique impune. Para Lowcock, é hora de acabar com esta situação.

Relatório

Em maio, António Guterres publicou um relatório sobre a proteção de civis. Em apenas seis países afetados por conflitos, mais de 26 mil pessoas tinham morrido ou ficado feridas. Segundo o secretário-geral, um dos elementos importantes para reverter esse quadro era a defesa e promoção do tema.

No ano passado, uma campanha sobre Dia Mundial Humanitário reuniu mais de 2 milhões de participantes na internet lembrando que os trabalhadores da área não são um alvo #NotATarget.

Em setembro, o Escritório da ONU para Assuntos Humanitários lança uma campanha para pedir a líderes internacionais que protejam civis e trabalhadores humanitários de uma melhor forma.

Selfies

Cidadãos de todas as partes do mundo também estão sendo convidados a firmar uma petição ao vivo para reforçar o pedido com suas fotos selfies que transforma as fotos em portraits 3D da solidariedade.

O Dia Mundial Humanitário foi estabelecido pela Assembleia Geral para chamar a atenção para a assistência humanitária e homenagear quem arrisca suas vidas para servir a esta causa.

 

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud