Mulheres e meninas são mais de 70% das vítimas do tráfico humano

30 julho 2018

Nações Unidas marcam Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas focando na resposta a este tipo de crime contra crianças e jovens; milhões de crianças, mulheres e homens são traficados para vários fins incluindo trabalho forçado e sexo; Unicef alerta que 30% das vítimas do crime são crianças.

As Nações Unidas marcam nesta segunda-feira o Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas. Em comunicado, a relatora de direitos humanos* afirma que o mundo tem que fortalecer formas de combater esse crime contra seres humanos.

Maria Grazia Giammarinaro, especialista no tema, lembra que muitas pessoas são enganadas por criminosos e traficantes incluindo migrantes, refugiados e solicitantes de asilo, em busca de proteção ou de uma vida melhor.

Número exato

A relatora diz que essas pessoas estão numa situação vulnerável e propensas à exploração. O tema deste ano é “Respondendo ao tráfico de crianças e jovens”.

Um relatório da ONU revela que quase um terço das vítimas desse tipo de crime são crianças. Atualmente, 71% das pessoas traficadas são meninas e mulheres.  O Unicef alerta que 30% das vítimas do tráfico humano são crianças.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, calcula que o mundo tenha pelo menos 21 milhões de vítimas de trabalho forçado. O número exato é desconhecido, segundo a agência.

Para a relatora Maria Grazia Giammarinaro, o clima político atual contra a migração trata quem tem de sair de seu país de origem como uma ameaça, quando essas pessoas, segundo ela, contribuem para a prosperidade dos países onde vivem e trabalham.

Pacto Global

Ela é clara ao dizer que os países têm a obrigação de evitar o tráfico, que é uma grande violação dos direitos humanos.

Ela citou o Pacto Global para Migração, que estabelece que os países devem ter medidas individuais e indicadores de identificação dos migrantes propensos a tráfico e exploração. Isso deve existir além dos mecanismos internacionais de proteção.

Sociedade

O Pacto deve ser adotado num encontro internacional no Marrocos, em dezembro.

O comunicado ressalta que, em todo mundo, a sociedade e organizações civis têm desempenhado um papel importante para salvar vidas e proteger as pessoas do tráfico durante operações de busca e resgate.

Ela encerra o comunicado dizendo que, mesmo em tempo difíceis, a inclusão é a resposta para salvar as pessoas. O Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas é liderado pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, Unodc.

A agência da ONU lembra que todos os países são afetados pelo tráfico humano seja como ponto de origem, trânsito ou destino.

Em 2010, a Assembleia Geral adotou um Plano Global de Ação para Combater o Tráfico de Pessoas pedindo aos governos que tomem medidas coordenadas para derrotar este flagelo.

Em mensagem para marcar o Dia,  o secretário-geral das Nações Unidas disse que o tráfico humano é um “crime abominável” que alimenta situações como desigualdades, instabilidade e conflitos.

 

ONU/Manuel Elias
Para Guterres, as transformações trazidas pela internet não têm precedente.

António Guterres destacou que traficantes humanos “lucram com a esperança e o desespero” de suas presas, que são as pessoas mais vulneráveis e de quem são roubados os seus direitos humanos.

O chefe da ONU menciona crianças, jovens e migrantes especialmente suscetíveis ao tipo de crime, além de mulheres e crianças que são frequentemente visados. Ele citou a exploração sexual, incluindo prostituição involuntária, o casamento forçado e a escravidão sexual.

Atenção

Guterres expressou “choque” com o comércio de órgãos, ao destacar que essa prática assume várias formas em não tem fronteiras. Ele afirmou que muito frequentemente, eles operam com impunidade com diferentes crimes e recebendo quase nenhuma atenção e que essa situação deve mudar.

Ele disse que a ONU está empenhada em alcançar as vítimas com ações para punir os responsáveis e apoiar as vítimas, cujos direitos devem ser protegidos e receber apoios.

Para o Escritório da ONU contra Drogas e Crime, Unodc, o tráfico humano é uma grave violação aos direitos humanos e quase todos os países são afetados pelo flagelo, sendo de origem, trânsito ou destino das vítimas.

O apelo na data é que a comunidade internacional impulsione as respostas ao tráfico de menores e jovens que perfazem um terço das vítimas em todo o mundo.

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OIM organiza formação contra tráfico humano em Moçambique (Português para África)

As actividades de formação da OIM vão abranger agentes da lei e da ordem, assistentes sociais e funcionários da imigração.

Nações Unidas discutem combate ao tráfico humano (Português para o Brasil)

Assembléia Geral promove parcerias internacionais para busca de soluções; atriz Ashley Judd (foto) falou em defesa das vítimas.