ONU animada com promessa de doação do Banco Mundial para palestinos
BR

25 julho 2018

Órgão prometeu alocar US$ 90 milhões para responder crise em Gaza e na Cisjordânia; Agência da ONU de Assistência a Refugiados Palestinos, Unrwa, afirma que crise de financiamento é a maior da história da região.

 

O coordenador especial da ONU para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, disse que está animado com a promessa do Banco Mundial de alocar US$ 90 milhões para os palestinos. A quantia é maior que os US$ 55 milhões entregues à região no ano passado.

Segundo ele, o dinheiro é extremamente importante para Gaza, que está à beira do fracasso total econômico e social.

Nickolay Mladenov disse que o dinheiro é extremamente importante para Gaza, que está à beira do fracasso total econômico e social
Nickolay Mladenov disse que o dinheiro é extremamente importante para Gaza, que está à beira do fracasso total econômico e social, by Foto ONU/Loey Felipe

Pobreza

A diretora do Banco Mundial para Cisjordânia e Gaza, Marina Wes, disse que a assistência pretende levar esperança e um futuro especialmente para a juventude, ajudando a quebrar o círculo vicioso do desemprego, da pobreza e da instabilidade.

A crise na Faixa de Gaza e na Cisjordânia foi debatida no Conselho de Segurança da ONU, na terça-feira. A Agência da Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, informou que a crise é a pior da história forçando programas que salvam vidas a serem suspensos.

Uma das primeiras medidas deve ocorrer em 31 de julho, quando o programa Dinheiro Vivo por Trabalho será encerrado. Sofrem também outros programas de assistência social e de saúde, mas o auxílio realizado pela Unrwa em parceria com o Programa Mundial de Alimentos, PMA, que atende a comunidade de beduínos com comida, deve continuar até o fim deste ano.

Estados Unidos

A crise também afeta funcionários da agência da ONU. Ao todo, 154 profissionais contratados para trabalhar em fundos de emergência serão dispensados.

A Unrwa perdeu grande parte de seu financiamento com a decisão dos Estados Unidos de suspender US$ 300 milhões que eram usados para várias operações de assistência aos palestinos.

O Banco Mundial afirma que 30% dos palestinos estão desempregados. Em Gaza, no entanto, esta taxa é de metade da população economicamente ativa.

Os novos fundos do Banco Mundial devem ser usados pela Autoridade Palestina para levar treinamento e experiência profissional a jovens e mulheres que tenham curso superior. Cerca de 60% dessas pessoas estão desempregadas.

Em nota separada, a Unrwa condenou, nesta quarta-feira, o assassinato de crianças palestinas pedindo uma investigação independente de um menon de 14 anos, aluno da escola Basic Boys. Ele perdeu a vida em 23 de julho após uma incursão militar de Israel em um acampamento perto de Belém.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud