“Ação climática é urgente para prevenir conflitos e garantir a paz”
BR

11 julho 2018

Vice-chefe da ONU defende visão conjunta e compromisso de países com cooperação multilateral; no Conselho de Segurança, Amina Mohammed pediu investimento para dar mais poder a mulheres e jovens.

A vice-secretária-geral das Nações Unidas, Amina Mohammed,  advertiu aos países sobre o “risco de estarem envolvidos em um ciclo de conflito e desastres climáticos”.

A representante acrescentou que “a ação climática é urgente e faz parte da criação de uma cultura de prevenção e garantia da paz”.

Visão

Em sessão do Conselho de Segurança que abordou riscos de segurança relacionados ao clima, ela disse estar “claro que a mudança climática é uma ameaça real e ocorre em ritmo implacável”.

Sala do Conselho de Segurança, Nova Iorque, by Foto ONU/Loey Felipe

 

Amina Mohammed pediu ação dos países em “visão conjunta e compromisso com a cooperação multilateral”. Para ela, essa é a única oportunidade “para que o mundo encontre soluções eficazes e sustentáveis” para enfrentar esse desafio.

Em seu discurso, Amina Mohammed mencionou ainda as conclusões da Organização Meteorológica Mundial, OMM, confirmando que 2015, 2016 e 2017 foram os três anos mais quentes já registrados.

Risco

Ela citou o aumento do nível de concentração de dióxido de carbono na atmosfera, que expõe o mundo ao “risco crescente de ondas de calor, inundações, secas e incêndios” que agora acontecem com mais frequência.

A vice-chefe da ONU disse que, apesar de o impacto da mudança climática se espalhar de maneira desigual pelas diferentes regiões, “nenhum país será poupado de suas consequências a longo prazo”.

Ela falou ainda de efeitos desproporcionais dessas alterações em grupos socialmente vulneráveis e marginalizados.

Para a representante, a mudança climática está ligada não apenas às questões ambientais, mas também à insegurança alimentar e aos conflitos, tal como acompanhou durante sua viagem recente à região da Bacia do Lago Chade.

Acompanhe o vídeo da visita da vice-chefe da ONU a mulheres no Níger. 

Esforços

Ela defendeu que os programas internacionais tenham seus esforços centrados em mulheres e jovens.

Mohammed afirmou que o maior impacto da mudança climática é sentido pelas mulheres. Um dos exemplos é o da desertificação, que as obriga a percorrer distâncias maiores para ter água e comida e “a perder oportunidades educacionais e econômicas a longo prazo”.

Para justificar um maior investimento nos jovens, Amina Mohammed disse que sem empregos estes “terão o terrorismo como via alternativa”.

Apresentação: Daniela Gross.