Colômbia aproveita paz para aumentar receitas de turismo

3 julho 2018

Novo estudo das Nações Unidas mostra como uma cidade pode usar este setor para criar mais empregos; país assinou acordo que permite a paz em 2016 e número de visitantes tem crescido desde essa altura.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, diz que a Colômbia pretende usar a paz para melhorar o setor do turismo, que sofreu durante décadas de conflito.

Um novo estudo da agência da ONU cita o exemplo de Cali, a terceira maior cidade do país, para mostrar como se pode promover esta indústria e criar empregos.

Aposta

Cali é conhecida como a capital da salsa e a pesquisa diz que a área deve aproveitar a ligação a esse gênero musical. A OIT explica que as paisagens naturais, a gastronomia, as atividades desportivas e de aventura devem ser os pilares da aposta.  

O relatório diz que também é preciso melhorar a segurança e promover a cidade.

O especialista John Bliek, que coordenou o estudo, diz que a criação de empregos, sobretudo para os jovens, pode ajudar a resolver “as feridas causadas por décadas de conflito”.

 Bliek afirma que “o turismo é um setor dinâmico, em crescimento em muitas partes do mundo, que cria postos de trabalho para as pessoas mais vulneráveis da sociedade, como jovens e mulheres”.

Segundo ele, o setor “também é uma alternativa, uma atividade secundária, que dá um rendimento complementar a famílias em zonas rurais”. 

Crescimento

O secretário de Turismo da região Valle del Cauca, Julián Felipe Franco, diz que “o relatório tem conclusões muito concretas sobre como se pode promover o turismo na cidade”.

As autoridades do país assinaram um acordo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc, que entrou em vigor em 2016. Segundo Franco, o turismo tem crescido cerca de 10 a 12% ano desde essa altura.

No ano passado, a cidade recebeu a visita de 200 mil estrangeiros e pretende duplicar esse número nos próximos dois anos.

Recomendações

O relatório recomenda a aposta na formação, porque pessoas com mais conhecimentos vão conseguir inovar e melhorar a oferta, atraindo mais visitantes.

Segundo a OIT, a região tem falta de guias de turismo e defende que estes profissionais podem mostrar as riquezas naturais e culturais, e que a colaboração entre todos os atores envolvidos é fundamental.

O operador turístico Mauricio Novoa disse que Cali “deve promover melhor a sua oferta”.

O empresário colombiano acredita que a “salsa, por exemplo, expressa um ritmo e um estilo de vida que são parte integrante da cultura e economia” e que os cidadãos do país “devem usar isso para se diferenciar do resto do mundo”.

Apresentação: Alexandre Soares