Passar para o conteúdo principal

Guterres apreensivo com novas disputas entre pastores de gado e agricultores africanos

Guterres apelou à busca de soluções aceitáveis e duradouras para conflitos entre pastores de gado e agricultores africanos.
FAO/Giulio Napolitano
Guterres apelou à busca de soluções aceitáveis e duradouras para conflitos entre pastores de gado e agricultores africanos.

Guterres apreensivo com novas disputas entre pastores de gado e agricultores africanos

Clima e Meio Ambiente

Secretário-geral preocupado com frequência, intensidade e complexidade dos incidentes nas regiões oeste e centro do continente; segundo agências de notícias, pelo menos 86 morreram na Nigéria; violência também ocorreu em áreas do Mali.

O secretário-geral das Nações Unidas expressou “profunda preocupação” com  disputas que envolvem pastores de gado e agricultores de vários países da África Ocidental e Central.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, António Guterres destaca que está apreensivo com “a crescente frequência, intensidade, complexidade e alcance geográfico do conflito violento”, bem como com o banditismo, a extorsão e o roubo de gado.

Violência

Agências de notícias informaram que nos últimos dias pelo menos 86 pessoas morreram no centro da Nigéria, em confrontos violentos entre estes grupos no estado de Plateau.

De acordo com os relatos das agências, os agricultores berom e os pastores fulani têm um historial de décadas de violência em disputas de terra. Antes dessa onda de violência, dezenas de pessoas perderam a vida em confrontos ocorridos no Mali.

Chefe da ONU lembrou que ataques contra civis violam o direito internacional humanitário.
ONU/Manuel Elias
Chefe da ONU lembrou que ataques contra civis violam o direito internacional humanitário.

Guterres condena a perda de vidas, propriedades e meios de subsistência, além dos deslocamentos. Para o secretário-geral, a situação “prejudica a coexistência pacífica” de comunidades dos países afectados e a estabilidade regional.

Soluções

O chefe da ONU lembra que todos os ataques contra civis violam o direito internacional humanitário.

O apelo a governos, organizações regionais, sociedade civil e outros atores relevantes é que trabalhem juntos na busca de soluções aceitáveis e duradouras para esses conflitos “de acordo com as normas regionais existentes, regulamentos e o direito internacional humanitário e de direitos humanos”.

O secretário-geral manifestou solidariedade da organização com os povos e os governos afectados pela situação. Guterres afirmou ainda que a ONU está pronta e empenhada em apoiar esforços para resolver o tipo de disputa.

Apresentação: Eleutério Guevane.