Moçambique, Unicef e União Europeia apoiam programa de acesso à água potável

19 junho 2018

Programa, orçado em 10 milhões de euros, deve fornecer água a 10 mil pessoas em vários vilarejos da província de Inhambane; no sul do país.

Uma parceria de Moçambique com a ONU e a União Europeia está a levar água potável para vários locais da província de Inhambane.

A Vila de Homoíne, no sul do país, e Moçambique foi a úlltima a receber o sistema de abastecimento de água, no âmbito do programa de água, saneamento e higiene. O local foi contemplado ao lado de Morrumbene e Jangamo.

Criança

A ONU News acompanhou a entrega da iniciativa conjunta num evento no sábado. O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, estava na inauguração e elogiou o projeto.

“A maior oferta que se podia dar a criança do que água não vejo. Uma criança com água lava a cara, bebe, toma conta da higiene, é tudo...Parabéns à criança por ter conseguido água exatamente no Dia da Criança Africana.”

Um dos residentes da Vila de Homoíne, Armando Ernesto Chaúque, de 73 anos, diz que a chegada da água vai minimizar o sofrimento das camadas mais vulneráveis.

As crianças já não vão ter falta de água e as nossas “mamas” não terão que carregar uma lata de água de um lado para outro. Nós estamos a pedir para instalarem mais tanques, porque a população que precisa de água é muita. Este tanque não vai dar para toda gente, o resto está tudo muito bem.”

Já Zulmira Joaquim Zandamela, cuja mobilidade é feita na carrinha de rodas devido a deficiência física, elogia o programa. Ela conta que no passado para obter um recepiente de 20 litros de água era necessário pagar 10 meticais.

Higiene Pessoal

Lurdes também residente em Homoíne citou a importância da água para a higiene pessoal.

“A higiene pessoal realmente precisa de ser cuidada com base na água, principalmente nós as mulheres é que gerimos o processo de aquisição de água. Quando não temos agua na família muitas atividades não acontecem. A água é remédio de tudo, para beber, cozinhar e tantas outras atividades que nós sabemos que sem elas não podemos executá-las da melhor forma. Saibamos conservar pouca água que temos”

O governo, o Unicef e a União Europeia tem desenvolvido esforço com vista a suprir as necessidades de água e saneamento das comunidades, especialmente as crianças vivendo nas vilas secundárias. O representante do Unicef, Marcoluigi Corsi, falou da abrangência do programa.

“São 10 mil pessoas que estão a beneficiar. Tudo isso significa que vamos ter uma melhoria em geral de acesso à água potável e de saneamento básico. Nas três vilas,  podemos dizer que, mais ou menos erradicamos o fecalismo ao céu aberto. O desafio é o acompanhamento porque o sistema tem que funcionar, e para continuar a funcionar tem que ser sustentável, isso significa que, temos que acompanhar o técnico para resolução de um problema que surgir.”

As obras implementadas  no âmbito do programa  de água, saneamento e higiene  as vilas  três vilas de Homoíne, Morrumbene e Jangamo, na provínvia de Inhambane, Aguasani, está orçado em 10 milhões de euros..

Apresentação: Ouri Pota

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud