Moçambique: ONU aponta responsabilidade do Estado e de cidadadãos para melhorar transportes

15 junho 2018

Coordenadora residente das Nações Unidas, Márcia de Castro elogia a criação da da agência metropolitana de transporte de Maputo; sustentabilidade na movimentação na maor área urbana é um dos temas da conferência realizada esta quarta-feira.

“Qual é o espaço ocupado pelas pessoas nos diferentes tipos de transporte?” Esta é uma das perguntas que desperta o interesse do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos, ONU Habitat, e parceiros nesta semana da Mobilidade Sustentável.

A agência apoia uma conferência realizada esta quarta-feira, sob lema “A Mobilidade Sustentável na Área Metropolitana de Maputo”.

Cidades

No evento, a coordenadora residente da ONU em Moçambique, Márcia de Castro, destacou prioridades Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 11, ODS 11, prevendo tornar as cidades e comunidades inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis.

“Habitação segura adequada de preços acessíveis, de serviços básicos que permitam melhorar a qualidade dos bairros e das áreas onde as populações residem. A prioridade número 2, é proporcionar, até 2030, o acesso ao sistema de transporte seguro, acessível e com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, as mulheres, as crianças e as pessoas com alguma dificuldade de mobilidade e a população mais idosa.”

Grande Maputo

A coordenadora residente reiterou a colaboração em prol do avanço dos transportes em Moçambique, na semana da Mobilidade Sustentável no chamado Grande Maputo, que termina neste sábado.

“Como Nações Unidas, celebramos muito a criação da Agência Metropolitana de Transporte de Maputo, com o propósito de melhorar a capacidade e a qualidade da oferta atual de transportes coletivos. Através da ONU-Habitat e outros parceiros do

sistema ONU contem connosco para apoiar o desenvolvimento do trabalho desta agência metropolitana para trazer mais qualidade, mais serviços para a população.”

Novos Mapas

Atualmente o Instituto Nacional de Estatística, ONU-Habitat e Fundo das Nações Unidas para a População atualizam mapas sobre a população moçambicana. Márcia de Castro citou a importância desses novos recursos.

“Reflete os novos padrões de concentração humana que são resultado do Censo e de uma população cada vez mais crescente. Esse novo mapa geográfico vai informar e ajudar, a preparação, a atualização, a focalização de políticas públicas em todos os ângulos que visam reconhecer essa nova geografia nacional.”

A meta é mobilizar autoridades, organizações e os cidadãos para promover novas estratégias para que as pessoas se movimentem. Outras questões importantes incluem planeamento urbano e acessibilidade do sistema de transportes nos espaços públicos nos municípios e distritos metropolitanos.

Apresentação: Ouri Pota, da ONU News em Maputo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud