Guterres saúda “busca de solução diplomática” por Donald Trump e Kim Jong-un
BR

11 junho 2018

Secretário-geral destaca cimeira de Cingapura como um desenvolvimento promissor para a paz e segurança; chefe da ONU pede atenção à situação humanitária norte-coreana que precisa de US $ 111 milhões.

Horas antes do encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano Kim Jong-un, o secretário-geral da ONU disse que o encontro era uma “boa notícia”. A cimeira decorre às 09:00 horas da noite em Cingapura, horário local.

António Guterres disse que este é um “desenvolvimento promissor para a paz e segurança” globais.

Ele felicitou os dois líderes por “buscarem uma solução diplomática”.

"Momento -chave"

O chefe das Nações Unidas agradeceu a todos os que contribuíram para criar as condições para  que chamou de “momento chave”.

Para o secretário-geral,  ambos os líderes estão tentando sair do “ciclo perigoso que criou tanta preocupação no ano passado”.

Para Guterres, “a paz e a desnuclearização verificável devem continuar sendo o objetivo claro e compartilhado”.

Em maio, Guterres escreveu para as duas partes e esta segunda-feira disse ter reiterado que “o caminho a seguir exigirá cooperação, compromisso e uma causa comum”.

Altos e Baixos

Para o chefe da ONU, haverá altos e baixos inevitáveis, momentos de desacordo e duras negociações.

O secretário-geral disse ainda que várias partes do sistema da ONU estão prontas para apoiar o processo de qualquer forma, incluindo a verificação, se isso for pedido pelas partes principais que chamou “os protagonistas”.

Guterres citou o mandato da Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, para aplicar salvaguardas no uso pacífico dos materiais nucleares, incluindo todo o material removido de programas militares.

O chefe da ONU citou a Organização do Tratado de Proibição de Testes Nucleares que também poderia desempenhar um papel importante “no monitoramento da anunciada moratória da Coreia do Norte sobre os testes de explosivos nucleares”.

Solução Pacífica

O secretário-geral mencionou o desejo que já foi manifestado pelo Conselho de Segurança “de uma solução pacífica, diplomática e política para a situação,” além de ações para reduzir as tensões.

Na mensagem, Guterres também  pediu atenção à situação humanitária norte-coreana ao lembrar que se buscam US $ 111 milhões para atender às necessidades imediatas de 6 milhões de pessoas vulneráveis.

Para o secretário-geral, é essencial que processos diplomáticos abram o caminho para o progresso em questões de direitos humanos, desde temas como reencontros de famílias até o compromisso com mecanismos internacionais.

A mensagem de Guterres encerrou com um apelo a todas as partes para que “aproveitem a oportunidade para apoiar uma Península Coreana pacífica, próspera, segura e verificável”.

Contactos

O ex-subsecretário-geral sobre os Assuntos Políticos, Jeffrey Feltman, fez a primeira  viagem ao país em meados de dezembro.

Jeffrey Feltman falou de contactos “construtivos e produtivos” no país onde disse ter  transmitido as preocupações do secretário-geral como “pontos que faziam parte de questões internacionais e do Conselho de Segurança”.

Nessa altura, Feltman disse acreditar que essa missão foi bem-sucedida ao persuadir a Coreia do Norte a aceitar algumas sugestões da comunidade internacional.

Segundo a ONU, o número de pessoas carenciadas na Coreia do Norte equivale a 40% da população.  O Plano de Necessidades e Prioridades 2018 prevê ações em prol da segurança alimentar e para reduzir a desnutrição, impulsionar o acesso a serviços de saúde, água e saneamento e construir resiliência em comunidades vulneráveis a desastres naturais.

 

Apresentação: Leda Letra.