Coordenadora humanitária da ONU considera ataque a hospital na República Centro-Africana “desumano”

9 junho 2018

Grupo armado entrou em hospital na cidade de Bambari; pelo menos 30 pacientes tiveram de ser retirados do edifício, colocando as suas vidas em risco.

A coordenadora humanitária da ONU na República Centro-Africana, Najat Rochdi, disse este sábado que um ataque a um hospital no país é "uma violação ultrajante do Direito Internacional Humanitário".

Grupos armados entraram no Hospital Regional de Bambari, no centro da cidade, no sábado, depois de ameaçar os médicos e pacientes na quinta-feira.

Direito

Em uma nota, Rochdi disse que responsabiliza os grupos armados por quaisquer complicações médicas que coloquem em risco a vida dos pacientes.

No mês de maio, os mesmos grupos já tinham roubado nove organizações humanitárias e a Comissão Nacional de Refugiados.

A coordenadora lembrou que os cuidados de saúde são um direito de todos os pacientes e, por isso, estas ações são “desumanas e indignas”.

Cuidados

De acordo com as primeiras estimativas, os familiares tiveram de remover cerca de 30 pacientes vulneráveis do hospital, privando-os de cuidados médicos.

Rochdi sublinhou que os hospitais não devem, em circunstância alguma, ser atacados. Ela destacou que estes espaços devem ser respeitados e protegidos por todas as partes envolvidas no conflito.

Ajuda

Este ataque dificulta a ação humanitária na cidade de Bambari, sobretudo a assistência médica.

Rochdi explicou que "a população foi mais uma vez feita refém pelo impacto dos confrontos” e que “as populações estão sendo cortadas da assistência de que tanto necessitam".

 A República Centro-Africana atravessa um conflito há cinco anos, com intensificação da violência no último ano.

 

Apresentação: Alexandre Soares

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud