Enchentes na Somália deixam mais de 230 mil desabrigados
BR

8 junho 2018

Metade são crianças, segundo o Unicef; após quatro temporadas consecutivas de chuvas fracas, país tem recorde de tempestades, e alagamentos contribuem para a transmissão de doenças.

A Somália está enfrentando um nível recorde de tempestades que estão causando muitas enchentes e deixando milhares de pessoas desabrigadas.

O país tinha enfrentado quatro temporadas de secas, que deixaram a população à beira da fome.

Risco de morte

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, 230 mil pessoas estão deslocadas desde abril por conta das cheias. Metade delas são crianças. A Somália já tem 2,6 milhões de habitantes desabrigados devido a secas ou ao conflito.

Essas pessoas moram em tendas feitas com galhos e lona, sem condições de higiene, o que contribui para o alastramento de doenças como diarreia.

O Unicef explica que metade das crianças com menores de cinco anos de idade (cerca de 1,25 milhão) estão sofrendo de desnutrição aguda. As chuvas ajudam a espalhar doenças que podem ser fatais para crianças que não estão sendo alimentadas e por isso, já estão exaustas e com o sistema imunitário fraco.

Para as atividades de ajuda aos menores somalis, a agência precisa neste ano de quase US$ 155 milhões, mas apenas 29% do montante foi recebido até o momento.

Apresentação: Leda Letra. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud