Para ONU, separação de pais e filhos migrantes é “séria violação dos direitos da criança”
BR

5 junho 2018

Crianças estão sendo afastadas de migrantes irregulares nos Estados Unidos; Escritório de Direitos Humanos da ONU destaca que país é o único do mundo que não ratificou a Convenção sobre os Direitos da Criança.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU está muito preocupado com a “política de tolerância zero” imposta na fronteira dos Estados Unidos com o México. Quem tenta entrar no país de forma irregular está sendo detido e separado de seus filhos, incluindo crianças muito pequenas.

O Escritório recebeu informações de várias fontes sobre centenas de crianças que, desde outubro, foram separadas dos pais que buscavam asilo no país. Essa prática é “ilegal e uma séria violação dos direitos das crianças”.

Interesses

A maioria das pessoas que chega na fronteira no sul dos Estados Unidos deixou Honduras, Guatemala e El Salvador, fugindo da violência, da insegurança e da falta de serviços de saúde e educação nessas nações.

O Escritório da ONU destaca que os Estados Unidos são o “único país do mundo que não ratificou a Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança”.

Deter imigrantes e separar famílias “vão contra os padrões e princípios de direitos humanos”. O Escritório da ONU lembra que “os interesses das crianças devem sempre vir em primeiro lugar”. Por isso, é “muito preocupante que nos Estados Unidos, o controle da migração seja prioridade e não a proteção dos menores migrantes”. 

O Escritório faz um apelo ao governo de Donald Trump para acabar com essa prática de deter ou separar os menores de seus pais e ao mesmo tempo, adotar alternativas que permitam que as crianças continuem com suas famílias.

Apresentação: Leda Letra.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud