Parceria com ONU ajudou a alavancar produção agrícola em Angola, diz estudo

24 maio 2018

Num dos projetos analisados, a produtividade aumentou 66%; pesquisa mostra que famílias conseguiram ir além da agricultura de subsistência por causa da cooperação com a agência Fida.

Projetos apoiados pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Fida, ajudaram a melhorar a produtividade e a produção das principais culturas em Angola, segundo um novo relatório independente.

A pesquisa, produzida pelo Escritório Independente de Avaliação, Ioe, afirma que o aumento de produtividade “permitiu que os lares participantes dos projetos fossem além da agricultura de subsistência.”

Investimento

O relatório analisa 12 anos de apoios concedidos entre 2005 e 2017. Os pesquisadores centraram-se em quatro projetos, um já concluído e três em desenvolvimento, em oito das 18 províncias de Angola.

O custo total é de US$ 107,3 milhões sendo US$ 54,2 milhões financiados pelo Fida.

O relatório concluiu que o apoio ajudou a melhorar a produção de feijão, mandioca, milho e batatas. A agência da ONU também está a ajudar a melhorar a pesca de capturas de água doce em pequena escala e aquacultura.

Produtividade

No final de um projeto voltado pra pequenos agricultores, o Índice de Produção de Colheitas mostrou um aumento na produtividade de 66%.

O relatório também aponta a formação de funcionários do Sistema Nacional de Extensão Agrícola como um dos sucessos. Segundo o documento, um total de 88 funcionários do governo participaram em formações sobre técnicas de produção que reforçaram a qualidade de apoio e assistência aos agricultores.

Melhorias

A avaliação aborda algumas questões que precisam de ser melhoradas. O diretor da Ioe, Óscar Garcia, disse que “num país onde 44,2% da população trabalha no setor agrícola, a criação de oportunidades sustentáveis e atraentes nas áreas rurais é crucial.”

Segundo ele, este documento “oferece recomendações valiosas para o caminho a seguir.”

Uma das recomendações é abordar questões em relação à posse da terra e à agroecologia, para promover um sistema alimentar sustentável e justo.

Também se propõe que a formação profissional, a nível individual e institucional, se torne um dos pilares do trabalho do Fida em Angola.

Desigualdades

Segundo Óscar Garcia, “o relatório mostra que as condições de vida dos agricultores familiares melhoraram, mas também mostra que os mais vulneráveis, como as mulheres e os jovens, não foram totalmente atingidos”.

A pesquisa explica que “a demografia nacional do país mostra que os jovens podem ter um papel importante no processo de desenvolvimento nacional.”

Segundo o documento, as futuras iniciativas “devem contribuir para transformar a agricultura em um setor atrativo, onde os jovens possam encontrar oportunidades para um sustento digno.”

 

Apresentação: Daniela Gross.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud